Notícias
 
Segundo Dieese, mínimo teria que ser de R$ 2.685,47 este mês
Porto Alegre teve o maior avanço nos preços da cesta básica, 1,3%
05/09/2013




O salário mínimo do trabalhador brasileiro deveria ter sido de R$ 2.685,47 em agosto para que ele suprisse suas necessidades básicas e da família, segundo estudo divulgado ontem pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). A constatação foi feita por meio dos números da Pesquisa Nacional da Cesta Básica do mês passado, realizada pela instituição em 18 capitais do País.

Com base no maior valor apurado para a cesta no período, de R$ 319,66 em São Paulo, e levando-se em consideração o preceito constitucional que estabelece que o salário mínimo deve ser suficiente para garantir as despesas familiares com alimentação, moradia, saúde, transportes, educação, vestuário, higiene, lazer e previdência, o Dieese calculou que o mínimo deveria ter sido 3,96 vezes maior do que o piso vigente no Brasil, de R$ 678.

O valor é menor do que o apurado para julho, quando o mínimo necessário foi estimado em R$ R$ 2.750,83 (4,06 vezes o piso vigente). Em agosto de 2012, o Dieese calculava o valor necessário em R$ 2.589,78, ou 4,16 vezes o mínimo de então, de R$ 622.
A instituição também informou que o tempo médio de trabalho necessário para que o brasileiro que ganha salário mínimo pudesse adquirir, em agosto de 2013, o conjunto de bens essenciais caiu na comparação com julho. Na média das 18 cidades pesquisadas pelo Dieese, o trabalhador que ganha salário mínimo teve de cumprir uma jornada de 91 horas e 21 minutos, tempo inferior às 92 horas e 31 minutos exigidas em julho.

O Dieese divulgou que os preços dos itens que compõem a cesta básica caíram no mês de agosto em 13 das 18 capitais. As quedas mais expressivas foram registradas em Goiânia (-4,04%), Fortaleza (-3,96%) e no Recife (-3,43%). Os avanços se deram em Porto Alegre (1,83%), Brasília (0,72%), Curitiba (0,59%), Campo Grande (0,35%) e Florianópolis (0,11%).

Em agosto, apesar do recuo de 2,38%, São Paulo se manteve como a capital com o maior valor para a cesta básica. Na sequência aparecem Porto Alegre (R$ 311,50), Vitória (R$ 310,03) e Manaus (R$ 305,78). Já os valores mais baixos foram verificados em Aracaju (R$ 233,19), Salvador (R$ 257,54) e Goiânia (R$ 258,45).

Entre janeiro e agosto, apenas em três cidades - Florianópolis (-1,97%), Goiânia (-1,79%) e Belo Horizonte (-0,12%) - a variação acumulada do preço da cesta básica apresentou queda. Nas demais localidades houve alta, com os maiores aumentos verificados no Nordeste: Aracaju (14,28%), Salvador (13,39%), João Pessoa (11,92%) e Natal (11,62%). Os menores aumentos foram apurados em Curitiba (3,69%), Brasília (3,82%) e Fortaleza (4,59%).

Em 12 meses, entre setembro de 2012 (quando o Dieese divulgava a estimativa de preços da cesta básica em 17 capitais, sem os dados de Campo Grande) e agosto último, houve aumento em 14 localidades. As maiores variações foram encontradas em Salvador (14,35%), João Pessoa (14,07%) e Belém (12,88%). Florianópolis (-3,77%), Goiânia (-2,07%) e Rio de Janeiro (-1,36%) foram as únicas cidades onde se registrou redução nos preços.

 

 

Fonte: DCI

 
Veja também
 
 
Ramais - SEDE STIMEPA
  • Telefone Principal: (51) 3371-9000
  • Saúde/Clínico Geral - Ramal 9024
  • Saúde do Trabalhador - Ramal 9025
  • Cobrança - Ramal 9023 e 9028
  • Jurídico - Ramal 9029
  • Homologação - Ramal 9046
  • Secretaria Geral - Ramal 9026
  • Administrativo/Financeiro - Ramal 9018
 
Redes Sociais
 
 
Folha Metalúrgica
 
Assista
 
Escute
Escolha o áudio abaixo...

 
Boletim Eletrônico
Receba em seu e-mail o boletim eletrônico e informes do Sindicato

Não quero mais participar
 
Veja Também
 
 
O Sindicato
  Institucional
  História
  Diretoria
  Base do Sindicato
  Subsedes
  Aposentados
  Lazer
Serviços
  Tesouraria
  Jurídico
  Homologação
  Médico
Convenções
  Metalurgia
  Reparação de Veículos
  Máquinas Agrícolas
Galerias
  Fotos
  Vídeos
  Escute
  Notícias
  Opinião do Sindicato
  Folha Metalúrgica
  Publicações
CNM  FTM RS  CUT
 
Stimepa - Sindicato dos Metalurgicos de Porto Alegre
Av. Francisco Trein, 116 - Cristo Redentor - CEP 91350-200
Telefone: (51) 3371.9000 - Porto Alegre - RS
 
Omega Tecnologia