Notícias
 
Três projetos para substituir o fator previdenciário
Comissão especial da Câmara vai analisar alternativas ao redutor que provoca perda média de 40% nas aposentadorias
26/05/2013




O debate sobre o fim do fator previdenciário no cálculo das aposentadorias do INSS voltará à cena. Comissão especial da Câmara composta por 56 deputados (28 titulares e 28 suplentes) analisará três projetos em tramitação. O principal deles é o PL 3.299/08, do senador Paulo Paim (PT-RS), que extingue o fator. Com ele, entra em pauta o substitutivo do então relator da Comissão de Finanças e Tributação, atual ministro do Desenvolvimento Agrário, Pepe Vargas, que cria a fórmula 85/95. Por fim, a discussão ficará em torno da subemenda do deputado Ademir Camilo (PSD-MG). Ela usa a regra 85/95, mas estabelece limite para reduzir ou aumentar o benefício em até 20%, aplicando 2% para cada ano que faltar ou exceder na completação da proposta de Pepe Vargas.

De acordo com o Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap), a subemenda do parlamentar mineiro reduz pela metade os efeitos do fator sobre as aposentadorias. Para o Diap, ela ameniza a queda do valor dos benefícios precoces e contempla os trabalhadores, cuja soma da idade com o tempo de contribuição ultrapasse os requisitos da regra 85/95.

O departamento avalia que a comissão terá a importante missão de elaborar e formular proposta de consenso. Sem caráter deliberativo, a comissão encaminhará o resultado para ser votado no plenário da Câmara. O Rio de janeiro terá um representante na comissão especial. Será o deputado federal Vitor Paulo (PRB-RJ).

EFEITO CONTRÁRIO

Para o Diap, o governo está ciente de que precisa discutir alternativas ao fator criado em 1999. Na avaliação do departamento, o Planalto reconhece que o mecanismo de controle de gastos da Previdência Social, com o desestímulo às aposentadorias precoces, resultou ao contrário do que se esperava.

O efeito real do fator, segundo o Diap, foi o de fazer trabalhadores em condições de se aposentar correrem para pedir o benefício, mesmo que com valor reduzido. Segundo a Previdência, a idade média de aposentadoria por tempo de contribuição é de 54 anos, para homens, e de 51 anos, no caso das mulheres.

Homem teria que trabalhar mais três anos

Pela regra atual, em que há incidência do fator, um trabalhador com salário de R$ 1 mil, 54 anos de idade, 35 anos de contribuição, tendo começado a trabalhar aos 19, ao se aposentar hoje receberia R$ 689, ou seja, queda de 31,1%. Pelo substitutivo de Pepe Vargas, ele teria que trabalhar mais três anos para receber R$ 1 mil e completar 95 pontos. Já com a subemenda do deputado Ademir Camilo, o mesmo trabalhador teria redução de 12%, passando a receber R$880.

Mulher tem perda maior

Para uma mulher com salário de R$ 1 mil, 51 anos de idade e 30 de contribuição, o fator reduz em 47,4% o valor do benefício. O INSS teria, então, que pagá-la R$526, mas como ninguém recebe menos do que o salário mínimo, a aposentadoria ficaria em R$ 678.

Caso a fórmula 85/95 estivesse em vigor, essa trabalhadora seria obrigada a trabalhar mais dois anos para receber os R$1 mil. Assim, com 52 anos de idade e 32 anos de contribuição completaria 85 pontos da fórmula destinada às mulheres. Com a subemenda de Ademir Camillo, ela teria redução de 8% e ganharia R$ 920.

O aposentado Sidney da Silva, 81 anos, defende que o governo deveria rever o fator. Ele reclama que com a aposentadoria atual não dá para manter o padrão de vida da família.

 

Fonte: Max Leone / http://odia.ig.com.br

 
Veja também
 
 
 
Canal WhatsApp
 
Ramais - SEDE STIMEPA
  • Telefone Principal: (51) 3371-9000
  • Saúde do Trabalhador - Ramal 9025
  • Cobrança - Ramal 9023 e 9028
  • Jurídico - Ramal 9029
  • Homologação - Ramal 9046
  • Secretaria Geral - Ramal 9026
  • Administrativo/Financeiro - Ramal 9018
 
Redes Sociais
 
 
Folha Metalúrgica
 
Assista
 
Escute
Escolha o áudio abaixo...

 
Boletim Eletrônico
Receba em seu e-mail o boletim eletrônico e informes do Sindicato

Não quero mais participar
 
Veja Também
 
 
O Sindicato
  Institucional
  História
  Diretoria
  Base do Sindicato
  Subsedes
  Aposentados
  Colônia de Férias
  Lazer
Serviços
  Benefícios para Associado
  Tesouraria
  Jurídico
  Homologação
  Médico
Convenções
  Metalurgia
  Reparação de Veículos
  Máquinas Agrícolas
Galerias
  Fotos
  Vídeos
  Escute
  Notícias
  Opinião do Sindicato
  Folha Metalúrgica
  Publicações
CNM  FTM RS  CUT
 
STIMEPA - Sindicato dos Metalurgicos de Porto Alegre
Av. do Forte, 77 - Cristo Redentor - CEP 91.360-000;
Telefone: (51) 3371.9000 - Porto Alegre - RS.
 
Omega Tecnologia