Notícias
 
Serralheiro tem reconhecido vínculo empregatício
Trabalhador receberá todos os direitos trabalhistas e rescisórios relativos ao período trabalhado
22/03/2013


Serralheiro teve reconhecido o vínculo de emprego em empresa de Porto Alegre, na função de auxiliar, e garantiu o cumprimento dos direitos trabalhistas. A ação foi ajuizada pela assessoria jurídica do Sindicato dos Metalúrgicos de Porto Alegre (STIMEPA), representada pelo escritório WOIDA, MAGNAGO, SKREBSKY, COLLA & ADVOGADOS ASSOCIADOS.

Pela sentença favorável da juíza da 8ª Vara do Trabalho de Porto Alegre (TRT4/RS), Raquel Gonçalves Seara, os termos da prova oral demonstram que houve a prestação de serviços, a qual é admitida pelo reclamado, no termos do disposto nos arts. 818 da CLT, e 333, II, do CPC, além de terem sido atendidos os requisitos previstos pelo artigos 2º e 3º da CLT, da pessoalidade, onerosidade, não-eventualidade e subordinação.

O trabalhador prestou serviços no período de 30/03/2011 a 09/12/2011, de segunda a sábado, das 7h30 às 17h30 e em alguns dias aos domingos, usufruía 1 hora de intervalo, almoçava no trabalho e recebia R$ 1.280,00 mensais. O trabalho era realizado em uma peça localizada em um terreno junto à casa do reclamado e o serralheiro ficava o dia inteiro no local. O depoente foi despedido para o filho do empregador trabalhar no seu lugar.

Pela decisão da 8ª Vara do Trabalho de Porto Alegre, o trabalhador receberá do reclamado aviso-prévio, 13º salário proporcional de 2011 (9/12), férias proporcionais acrescidas de 1/3 (9/12), considerado o cômputo do aviso-prévio, além de horas extras, assim consideradas as excedentes da 8ª hora diária ou 44ª hora semanal, com adicional de 50%, observada a jornada fixada, com reflexos em repouso semanal remunerado e feriados, aviso-prévio, férias acrescidas de 1/3 e 13º salário.

O serralheiro ainda conquistou o adicional de insalubridade em grau médio, a ser calculado sobre o salário-mínimo, com reflexos em aviso-prévio, horas extras, férias com 1/3 e décimo terceiro salários. O reclamado também deverá recolher o FGTS acrescido de 40% à conta vinculada do reclamante; anotar a CTPS do reclamante, sob pena de aplicação de multa diária, pagar custas e os honorários advocatícios, recolher o imposto de renda e as contribuições previdenciárias.

 

 

Fonte: WMSC&AA

 
Veja também
 
 
Ramais - SEDE STIMEPA
  • Telefone Principal: (51) 3371-9000
  • Saúde/Clínico Geral - Ramal 9024
  • Saúde do Trabalhador - Ramal 9025
  • Cobrança - Ramal 9023 e 9028
  • Jurídico - Ramal 9029
  • Homologação - Ramal 9046
  • Secretaria Geral - Ramal 9026
  • Administrativo/Financeiro - Ramal 9018
 
Redes Sociais
 
 
Folha Metalúrgica
 
Assista
 
Escute
Escolha o áudio abaixo...

 
Boletim Eletrônico
Receba em seu e-mail o boletim eletrônico e informes do Sindicato

Não quero mais participar
 
Veja Também
 
 
O Sindicato
  Institucional
  História
  Diretoria
  Base do Sindicato
  Subsedes
  Aposentados
  Lazer
Serviços
  Tesouraria
  Jurídico
  Homologação
  Médico
Convenções
  Metalurgia
  Reparação de Veículos
  Máquinas Agrícolas
Galerias
  Fotos
  Vídeos
  Escute
  Notícias
  Opinião do Sindicato
  Folha Metalúrgica
  Publicações
CNM  FTM RS  CUT
 
Stimepa - Sindicato dos Metalurgicos de Porto Alegre
Av. Francisco Trein, 116 - Cristo Redentor - CEP 91350-200
Telefone: (51) 3371.9000 - Porto Alegre - RS
 
Omega Tecnologia