Notícias
 
CUT-RS e centrais sindicais querem reajuste de 13,79% para mínimo regional
Cerca de 1,3 milhão de trabalhadores e trabalhadoras do RS recebem o mínimo regional, que também é pago em Santa Catarina, Paraná, São Paulo e Rio de Janeiro
28/01/2021


CUT/RS


A CUT-RS e centrais sindicais entregaram na manhã desta quinta-feira (28/01) ao secretário-chefe da Casa Civil, Otomar Vivian, no Palácio Piratini, a proposta de 13,79% de reajuste do salário mínimo regional para 2021. A reivindicação foi definida a partir do levantamento do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese).

O índice de 13,79%, com pedido de vigência em 1° de janeiro, leva em conta 10,195%, que é a soma acumulada do INPC em 2020 (5,45%) e 4,50% (Projeto de Lei nº 35/2020) de 2019, e 3,26%, que é a diferença entre a relação do menor piso regional e o mínimo nacional vigentes em 2001 e em 2019. Os valores atuais estão congelados desde 1º de fevereiro de 2019.

Com esse aumento, os valores das cinco faixas do mínimo regional, hoje entre R$ 1.237,15 a R$ 1.567,81, passariam para R$ 1.407,72 a R$ 1.783,97. 

Cerca de 1,3 milhão de trabalhadores e trabalhadoras do RS recebem o mínimo regional, que também é pago em Santa Catarina, Paraná, São Paulo e Rio de Janeiro.

Mínimo regional aumenta renda e gera empregos

O mínimo regional é essencial para estimular o crescimento da economia gaúcha, pois o aumento da renda dos trabalhadores impacta diretamente no consumo local e na geração de empregos.

“Foi trágico para o RS a aprovação pela maioria dos deputados de reajuste zero no ano passado. Nos outros dois estados do Sul do Brasil, que também possuem mínimo regional, teve reposição da inflação e aumento real, além da criação de empregos. Aqui nós tivemos fechamento de vagas. Com o fim do auxílio emergencial, os economistas estão dizendo que o país corre risco de recessão. Tirar renda do trabalhador reduz o poder de compra e ainda trava o desenvolvimento”, disse Everton Gimenis, vice-presidente da CUT-RS.

O Dieese destaca que em Santa Catarina foram criados 67.134 novos postos de trabalho de janeiro a novembro de 2020, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). No Paraná houve abertura de 61.586 novas vagas no mesmo período, enquanto no RS, com o congelamento do piso regional, ocorreu o fechamento de 19.532 empregos.

Governo promete enviar projeto em fevereiro

Vivian recebeu o documento das centrais. Primeiro em frente ao Palácio e depois na Casa Civil, onde se reuniu com uma comitiva de dirigentes sindicais, que destacaram a importância de recuperar o poder aquisitivo do mínimo regional. Ele se comprometeu a enviar um projeto de lei para a Assembleia Legislativa no início de fevereiro com uma proposta de reajuste.

“Cobramos o secretário do governo Eduardo Leite (PSDB) para que o projeto seja enviado em regime de urgência, fazendo com que, se não for votado em 30 dias, irá trancar a pauta do plenário. No ano passado, sem regime de urgência, o projeto só foi votado pelos deputados em 1º de dezembro”, salientou Gimenis.

Além da CUT, também estiveram presentes dirigentes da CTB, Força Sindical, Intersindical e Nova Central.

 

Fonte: CUT RS

 

 

 
Veja também
 
 
 
 
 
 
 
Redes Sociais
 
 
Folha Metalúrgica
 
Assista
 
Escute
Escolha o áudio abaixo...

 
Boletim Eletrônico
Receba em seu e-mail o boletim eletrônico e informes do Sindicato

Não quero mais participar
 
Veja Também
 
 
Serviços
  Benefícios para Associado
  Tesouraria
  Jurídico
  Homologação
  Saúde
  Catálogo de Convênios e Parcerias
O Sindicato
  Institucional
  História
  Diretoria
  Base do Sindicato
  Subsedes
  Aposentados
  Colônia de Férias
  Lazer
Convenções
  Metalurgia
  Reparação de Veículos
  Máquinas Agrícolas
Galerias
  Fotos
  Escute
  Notícias
  Opinião do Sindicato
  Folha Metalúrgica
  Publicações
CNM  FTM RS  CUT
 
STIMEPA - Sindicato dos Metalurgicos da Grande Porto Alegre
Av. do Forte, 77 - Cristo Redentor - CEP 91.360-000;
Telefone: (51) 3371.9000 - Porto Alegre - RS.
De segunda à sexta, das 8h às 17h.
 
Omega Tecnologia