Notícias
 
Em nota, CNM/CUT diz que decisão unilateral de Trump é golpe na indústria brasileira
Entidade denuncia governo federal pela falta de autonomia para defender os interesses nacionais nas negociações comerciais e ressaltou que vai buscar aliados para a defesa dos empregos
02/09/2020




EUA reduz cota de aço semiacabados importados do Brasil

Em março de 2018, o governo de Donald Trump sobretaxou a importação de aço e alumínio oriundos do Brasil, em 25% e 10%, respectivamente, argumentando a suposta necessidade de preservação da segurança nacional, prevista da seção 232 da Lei de Expansão do Comércio de 1962. As tarifas seriam necessárias para evitar o “potencial impacto de mais fechamentos de fábricas”, conforme mencionava o pronunciamento presidencial. Depois de algumas negociações, principalmente com México e Brasil, chegou-se a um entendimento em que o aço produzido nestes países poderia entrar nos EUA sem essas pesadas tarifas.

Em 28 de agosto de 2020, mais uma vez o governo Trump agiu unilateralmente e determinou uma redução da quota isenta de taxa de importação para produtos siderúrgicos semiacabados do Brasil, passando de 350 mil para 60 mil toneladas. Os EUA representam o destino de 65% das exportações de produtos semiacabados brasileiros, além de ser o principal destino de produtos do aço exportados pelo Brasil.

Mesmo que a sobretaxa se aplique somente a produtos semiacabados e não a todo o portifólio de exportação da siderurgia nacional, isso é um grande golpe para nossa indústria, cuja capacidade instalada está um pouco acima de 40% e uma queda brutal do consumo interno devido a crise gerada mesmo antes da pandemia por uma política ultraliberal implantada no Brasil desde o golpe contra a ex-presidenta Dilma, em 2016.

Considerando um cenário global cuja tendência do comércio mundial é de um menor nível de interdependência produtiva, comercial e tecnológica, com menor nível de abertura, permeado por questões geopolíticas e de segurança nacional, cujo resultado pode vir a ser uma economia mundial mais regionalizada, em detrimento da América Latina e Caribe, segundo a CEPAL, consideramos que as medidas recentes do governo dos EUA relacionadas ao aço brasileiro reforçam essas tendências econômicas protecionistas, a CNM-CUT vem a público manifestar:

- Denúncia ao governo de Jair Bolssonaro pela falta de autonomia para defender os interesses nacionais nas negociações comerciais;

- Que tal medida apresenta preocupações para a produção e emprego do setor siderúrgico brasileiro, mas também expõe a fragilidade e a falta de uma política industrial no Brasil, que atualmente não é prioritária para o atual governo;

- A CNM/CUT irá buscar aliados para mobilizar e defender os empregos neste setor fundamental da produção nacional;


Fonte: CNM/CUT

 
Veja também
 
 
 
Canal WhatsApp
 
Ramais - SEDE STIMEPA
  • Telefone Principal: (51) 3371-9000
  • Saúde do Trabalhador - Ramal 9025
  • Cobrança - Ramal 9023 e 9028
  • Jurídico - Ramal 9029
  • Homologação - Ramal 9046
  • Secretaria Geral - Ramal 9026
  • Administrativo/Financeiro - Ramal 9018
 
Redes Sociais
 
 
Folha Metalúrgica
 
Assista
 
Escute
Escolha o áudio abaixo...

 
Boletim Eletrônico
Receba em seu e-mail o boletim eletrônico e informes do Sindicato

Não quero mais participar
 
Veja Também
 
 
Serviços
  Benefícios para Associado
  Tesouraria
  Jurídico
  Homologação
  Médico
O Sindicato
  Institucional
  História
  Diretoria
  Base do Sindicato
  Subsedes
  Aposentados
  Colônia de Férias
  Lazer
Convenções
  Metalurgia
  Reparação de Veículos
  Máquinas Agrícolas
Galerias
  Fotos
  Vídeos
  Escute
  Notícias
  Opinião do Sindicato
  Folha Metalúrgica
  Publicações
CNM  FTM RS  CUT
 
STIMEPA - Sindicato dos Metalurgicos de Porto Alegre
Av. do Forte, 77 - Cristo Redentor - CEP 91.360-000;
Telefone: (51) 3371.9000 - Porto Alegre - RS.
 
Omega Tecnologia