Notícias
 
RS tem a maior taxa de sobrevivência de empresas do Brasil
Estudo do IBGE aponta que 87,4% dos estabelecimentos gaúchos existentes em 2017 já estavam ativos no ano anterior
18/10/2019




 As empresas gaúchas são mais longevas do que as de outros Estados. É o que aponta o estudo Demografia das Empresas e Estatísticas de Empreendedorismo, divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quinta-feira (17). Em 2017, ano-base do levantamento, das 406,4 mil unidades de negócios ativas no Rio Grande do Sul, entre matrizes e filiais, 355,2 mil já estavam constituídas no ano anterior. Isso resulta em uma taxa de sobrevivência de 87,4%, a maior entre as 27 unidades federativas do Brasil.

O desempenho do Estado fica acima da média nacional, que é de 84,8%. No Brasil, dos 4,8 milhões de estabelecimentos ativos, 4,1 milhões eram sobreviventes. Entre regiões, o Sul possui o melhor índice (86,6%), enquanto o Norte detém a menor taxa de sobrevivência (81%).

Apesar do título de campeão em sobrevivência de empresas, o Rio Grande do Sul teve mais negócios fechados do que abertos durante 2017. Ao todo, o Estado registrou o surgimento de 51,2 mil unidades e o encerramento de 57,9 mil estabelecimentos, entre matrizes e filiais. Isso culminou em um saldo de 6,7 mil companhias a menos durante o período, segundo o IBGE.

Os piores desempenhos no Rio Grande do Sul foram verificados no comércio e na indústria, que tiveram saldo negativo de 5,6 mil e 1,1 mil negócios, respectivamente. Por outro lado, as áreas com maior saldo positivo foram as de atividades profissionais, científicas e técnicas (1.242 empresas a mais) e saúde humana e serviços sociais (884 unidades a mais).

No Brasil, o desempenho geral também foi negativo. O país fechou 2017 com 676,4 mil entradas e 699,3 mil saídas de empresas. Ou seja, o país perdeu 22,9 mil companhias no período.

Número de empresas de alto crescimento é o menor desde 2008
O levantamento ainda mostrou que o número de empresas de alto crescimento no Brasil atingiu o menor patamar desde 2008, quando começou a série histórica. O país possuía, em 2017, 20,3 mil empreendimentos enquadrados nesta categoria, que leva em consideração somente os negócios com expansão anual de, ao menos, 20% no número de empregados por um período de três anos e que tenham 10 ou mais pessoas assalariadas no período inicial de observação.

O Rio Grande do Sul é o quarto Estado brasileiro com mais empresas de alto crescimento, com 3 mil unidades. Na frente dos gaúchos estão apenas São Paulo (12,9 mil), Minas Gerais (4,2 mil) e Rio de Janeiro (3,9 mil).

Fonte: Gaúcha ZH

 
Veja também
 
 
Ramais - SEDE STIMEPA
  • Telefone Principal: (51) 3371-9000
  • Saúde do Trabalhador - Ramal 9025
  • Cobrança - Ramal 9023 e 9028
  • Jurídico - Ramal 9029
  • Homologação - Ramal 9046
  • Secretaria Geral - Ramal 9026
  • Administrativo/Financeiro - Ramal 9018
 
Redes Sociais
 
 
Folha Metalúrgica
 
Assista
 
Escute
Escolha o áudio abaixo...

 
Boletim Eletrônico
Receba em seu e-mail o boletim eletrônico e informes do Sindicato

Não quero mais participar
 
Veja Também
 
 
O Sindicato
  Institucional
  História
  Diretoria
  Base do Sindicato
  Subsedes
  Aposentados
  Colônia de Férias
  Lazer
Serviços
  Benefícios para Associado
  Tesouraria
  Jurídico
  Homologação
  Médico
Convenções
  Metalurgia
  Reparação de Veículos
  Máquinas Agrícolas
Galerias
  Fotos
  Vídeos
  Escute
  Notícias
  Opinião do Sindicato
  Folha Metalúrgica
  Publicações
CNM  FTM RS  CUT
 
Stimepa - Sindicato dos Metalurgicos de Porto Alegre
Av. Francisco Trein, 116 - Cristo Redentor - CEP 91350-200
Telefone: (51) 3371.9000 - Porto Alegre - RS
 
Omega Tecnologia