Notícias
 
Metalúrgicos da CUT discutem estratégias de fortalecimento das Redes Sindicais
.
08/02/2018


CNM/CUT
Nosso sindicato foi representado pelos diretores João Massena da Usiminas e André Santana da ThyssenKrupp


Foi realizado nesta terça e quarta-feira (6 e 7) o segundo módulo do Programa de Formação “Ação Internacional e o Fortalecimento das Redes Sindicais”. A atividade, que aconteceu em Cajamar (SP), é destinada para os coordenadores de redes sindicais em empresas metalúrgicas. Nosso sindicato foi representado pelos diretores João Massena da Usiminas e André Santana da Thyssen Krupp.

 

O curso é promovido pela Confederação Nacional dos Metalúrgicos da CUT (CNM/CUT), em parceria com a Fundação Friedrich Ebert (FES).

Ao longo dos dois dias, os participantes debateram a conjuntura política e econômica do Brasil, internacional e da América Latina, além de estratégias para fortalecer as redes sindicais de empresas. Para ajudar nas discussões, houve painéis com especialistas, como a professora doutora Tatiana Berringer da UFABC (Universidade Federal do ABC), Marino Vani, representante da IndustriAll para América Latina, a técnica da subseção do Dieese Cristiane Ganaka.


Análise de conjuntura foi feita pela professa da UFABC Tatiana Berringer

Em sua análise, Tatiana destacou a derrota dos governos de esquerda na América Latina e os impactos na vida dos trabalhadores no continente. “A derrubada de lideranças progressistas destruiu os empregos de qualidade, retirou direitos sociais e trabalhistas. No Brasil, por exemplo, este governo ilegítimo acabou com o legado de Getúlio Vargas e das luta de todo o povo brasileiro quando colocou em pauta a Reforma Trabalhista”, disse.

Ainda segundo ela, é preciso reorganizar uma nova esquerda para a retomada do crescimento econômico e social do país. “A discussão de capital trabalho é fundamental, mas não é única. Precisamos incluir neste debate as contradições de gênero, raça e juventude. Precisamos incorporar estes temas tendo em vista as transformações ocorridas no mundo do trabalho.”

"Todos os níveis de organização dos trabalhadores são fundamentais para combater o capitalismo selvagem das transnacionais. Por isso, A organização e consolidação de redes sindicais nas empresas multinacionais são decisivas para a política sindical global", completou o secretário de Relações Internacionais da CNM/CUT, Maicon Vasconcelos.


Secretário de Relações Internacionais da CNM/CUT, Maicon Vasconcelos, coordenou encontrou

IndustriALL
Por teleconferência, Marino Vani tirou dúvidas sobre a estrutura da IndustriALL, entidade internacional que representa os trabalhadores metalúrgicos, químicos e têxteis em todo o mundo. “Um dos caminhos para combater o trabalho precário é organizar os trabalhadores nas transnacionais através dos seus respetivos sindicatos”, contou. “O Macrossetor da Indústria da CUT (MSI), composto por metalúrgicos, químicos, têxteis e trabalhadores na construção e na alimentação, é outra ferramenta importante para unificar as lutas dos trabalhadores”, completou.

Novo Sindicalismo
Para conhecer, refletir e analisar a história da estrutura sindical brasileira relacionando-a aos desafios atuais do mundo do trabalho, a técnica do Dieese apresentou um breve histórico do sindicalismo no país.

“Essa dinâmica de montar a linha do tempo com os participantes coloca o olhar do trabalhador na história. Em todas as datas históricas eles conseguiram inserir a classe trabalhadora como protagonista”, afirmou.

Coletivos CNM/CUT
Já na tarde do segundo dia do encontro, a secretária de Igualdade Racial da CNM/CUT, Christiane dos Santos, lembrou do processo de construção do Coletivo que coordena, por meio do curso “Combate ao Racismo para a Construção da Igualdade Racial”, que sensibilizou as entidades de metalúrgicos cutistas para o tema, a partir da troca de experiências e da formação teórica.

“A criação do Coletivo foi diferente porque teve tem o intuito de debater e elaborar propostas para superação do racismo no mundo do trabalho e na sociedade. Somos mais um instrumento para combater o racismo e é um compromisso do movimento sindical lutar pela igualdade, principalmente, na questão racial.”

(Fonte: Shayane Servilha, assessoria de imprensa da CNM/CUT)

 
Veja também
 
 
Ramais - SEDE STIMEPA
  • Telefone Principal: (51) 3371-9000
  • Saúde/Clínico Geral - Ramal 9024
  • Saúde do Trabalhador - Ramal 9025
  • Cobrança - Ramal 9023 e 9028
  • Jurídico - Ramal 9029
  • Homologação - Ramal 9046
  • Secretaria Geral - Ramal 9026
  • Administrativo/Financeiro - Ramal 9018
 
Redes Sociais
 
 
Folha Metalúrgica
 
Assista
 
Escute
Escolha o áudio abaixo...

 
Boletim Eletrônico
Receba em seu e-mail o boletim eletrônico e informes do Sindicato

Não quero mais participar
 
Veja Também
 
 
O Sindicato
  Institucional
  História
  Diretoria
  Base do Sindicato
  Subsedes
  Aposentados
  Lazer
Serviços
  Benefícios para Associado
  Tesouraria
  Jurídico
  Homologação
  Médico
Convenções
  Metalurgia
  Reparação de Veículos
  Máquinas Agrícolas
Galerias
  Fotos
  Vídeos
  Escute
  Notícias
  Opinião do Sindicato
  Folha Metalúrgica
  Publicações
CNM  FTM RS  CUT
 
Stimepa - Sindicato dos Metalurgicos de Porto Alegre
Av. Francisco Trein, 116 - Cristo Redentor - CEP 91350-200
Telefone: (51) 3371.9000 - Porto Alegre - RS
 
Omega Tecnologia