Notícias
 
China cresce porque a política industrial é de Estado e não de governo, avalia sindicalista
.
31/07/2017


Nesta quarta-feira (19), metalúrgicos da CUT que estão em missão naquele país asiático conheceram a estrutura de parque


 “A China cresce porque sua política industrial é de Estado e não de governo. Ou seja, é uma política que não está sujeita às mudanças de gestão e traz previsibilidade necessária para garantir investimentos e geração de empregos. Ao contrário do Brasil, que atualmente vive uma instabilidade política”. Esta é a avaliação do jovem metalúrgico do ABC Wellington Damasceno, que participa de missão à China.

E os números não negam. Segundo dados oficiais do governo chinês divulgados nesta segunda-feira (17), a produção industrial da China cresceu 7,6% em junho em relação ao ano anterior.

“A roda da economia chinesa gira porque existe o investimento do governo. Já vivemos este momento no nosso país quando era governado por Lula. O Brasil cresceu porque tinha investimento do Estado; consequentemente gerava consumo e empregos de qualidade”, completou o metalúrgico do ABC Nelsi Rodrigues, o Morcegão.

A delegação de sindicalistas brasileiros chegou em Pequim, capital do país, no último sábado (15), e encerra o intercâmbio na próxima segunda-feira (24). A missão é organizada pela Confederação Nacional dos Metalúrgicos da CUT (CNM/CUT) e o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, com apoio da Câmara de Comércio de Desenvolvimento Internacional Brasil China.

Nesta quarta-feira (19), o grupo visitou o Parque Nacional da Indústria Ecológica, localizado em Yixïng. De acordo com os sindicalistass, o local agrega 1,7 mil empresas e emprega cerca de 100 mil trabalhadores.

“Este parque aglomera, principalmente, startups [companhias que estão no início e que buscam explorar atividades inovadoras no mercado] montadas por jovens com foco em soluções modernas, de alta tecnologia e preocupação com o meio ambiente. É um parque que tem o total apoio financeiro do governo e, por isso, a China está em constante ascensão”, contou Damasceno.

Segundo Morcegão, mesmo com investimentos do Estado na indústria, grande parte da produção de alta tecnologia não é voltada para o mercado interno. “A estratégia dos chineses é produzir inovação tecnológica de alto nível para outros países, mas com a preocupação de manter os empregos na China", assinalou.

A delegação também conta com a participação do secretário geral da CNM/CUT, Loricardo de Oliveira, os presidentes da Federação Estadual dos Metalúrgicos da CUT/SP (FEM-CUT/SP) e de Minas Gerais (FEM-CUT/MG), Luiz Carlos da Silva Dias e Marco Antonio de Jesus, os presidentes dos Sindicatos dos Metalúrgicos de Sorocaba (SP) e de Porto Alegre (RS), Leandro Soares e Lírio Segalla Martins Rosa, e o diretor do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC Rafael Marques. Eles estão acompanhados pelos técnicos do Dieese André Cardoso (CNM/CUT), Luis Paulo Bresciani (ABC) e Leandro Horie (CUT Nacional).

 
Veja também
 
 
Ramais - SEDE STIMEPA
  • Telefone Principal: (51) 3371-9000
  • Saúde/Clínico Geral - Ramal 9024
  • Saúde do Trabalhador - Ramal 9025
  • Cobrança - Ramal 9023 e 9028
  • Jurídico - Ramal 9029
  • Homologação - Ramal 9046
  • Secretaria Geral - Ramal 9026
  • Administrativo/Financeiro - Ramal 9018
 
Redes Sociais
 
 
Folha Metalúrgica
 
Assista
 
Escute
Escolha o áudio abaixo...

 
Boletim Eletrônico
Receba em seu e-mail o boletim eletrônico e informes do Sindicato

Não quero mais participar
 
Veja Também
 
 
O Sindicato
  Institucional
  História
  Diretoria
  Base do Sindicato
  Subsedes
  Aposentados
  Lazer
Serviços
  Tesouraria
  Jurídico
  Homologação
  Médico
Convenções
  Metalurgia
  Reparação de Veículos
  Máquinas Agrícolas
Galerias
  Fotos
  Vídeos
  Escute
  Notícias
  Opinião do Sindicato
  Folha Metalúrgica
  Publicações
CNM  FTM RS  CUT
 
Stimepa - Sindicato dos Metalurgicos de Porto Alegre
Av. Francisco Trein, 116 - Cristo Redentor - CEP 91350-200
Telefone: (51) 3371.9000 - Porto Alegre - RS
 
Omega Tecnologia