Notícias
 
A República vai abaixo: o que sabemos até aqui da operação que pede a prisão de Aécio e de aliado de Temer
.
18/05/2017


Ueslei Marcelino/Reuters
Presidente do PSDB, Aécio já foi afastado do Senado por ordem do Supremo, que deve ainda analisar um pedido de prisão fe


Fonte: BuzzFeed.

Menos de 12 horas depois de O Globo revelar que o empresário Joesley Batista, dono da Friboi, gravou o presidente Michel Temer e o senador Aécio Neves em conversas escandalosas, a Polícia Federal foi às ruas para prender parte dos envolvidos no caso.

Em resumo, Temer foi flagrado tratando do silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha e Lúcio Funaro, ambos presos pela Lava Jato. E sugeriu ainda o deputado Rocha Loures (PMDB-PR) para receber dinheiro. A PF filmou a entrega. Aécio, por sua vez, pede R$ 2 milhões e fala em "matar" um possível delator.

Nesta quinta-feira (18), a Polícia Federal cumpriu diversos mandados de busca e apreensão, além de prisões. O pedido partiu da Procuradoria-Geral da República e foram autorizados pelo ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal.

O que sabemos até aqui:

Aécio afastado e com risco de prisão

O senador já foi afastado do cargo, por ordem do Supremo, em razão das graves acusações. A PGR pediu, ainda, sua prisão. Mas Edson Fachin preferiu que o plenário do Supremo vote o caso. Há precedente: em 2015, o senador Delcídio do Amaral foi preso numa rápida sessão, no mesmo dia da operação.

Sua irmã, Andrea Neves, já está presa pela PF. Assim como seu primo, Fred Medeiros. Ele é citado como o destinatário do dinheiro discutido por Aécio. Ele é, também, o protagonista da seguinte frase de Aécio:
“Tem que ser um que a gente mata ele antes de fazer delação. Vai ser o Fred com um cara seu".

A Folha informa que Aécio deve admitir que pediu o dinheiro. Nessa versão, ele diria que o pedido foi fruto de uma "relação privada" entre o senador e o empresário.

Rocha Loures, outro afastado.

 Desconhecido por muitos, Rodrigo Rocha Loures é deputado pelo PMDB do Paraná e figura próxima de Temer, sobretudo nos bastidores. Ele foi filmado recebendo dinheiro.

Por ordem do Supremo, já foi afastado do cargo e também deve ser alvo do plenário do tribunal, numa possível prisão.

Ele está em Nova York. Havia participado do mesmo evento que o prefeito de São Paulo, João Dória.

A irmã de Lúcio Funaro, Roberta, foi presa. Ela é acusada de receber dinheiro para garantir o silêncio do irmão, preso pela Lava Jato como operador do PMDB.

Há ainda diversas ordens de busca e apreensão, em endereços dos citados. Um dos alvos é um imóvel do coronel João Batista Lima Filho, amigo de Temer.

 

 
Veja também
 
 
Ramais - SEDE STIMEPA
  • Telefone Principal: (51) 3371-9000
  • Saúde/Clínico Geral - Ramal 9024
  • Saúde do Trabalhador - Ramal 9025
  • Cobrança - Ramal 9023 e 9028
  • Jurídico - Ramal 9029
  • Homologação - Ramal 9046
  • Secretaria Geral - Ramal 9026
  • Administrativo/Financeiro - Ramal 9018
 
Redes Sociais
 
 
Folha Metalúrgica
 
Assista
 
Escute
Escolha o áudio abaixo...

 
Boletim Eletrônico
Receba em seu e-mail o boletim eletrônico e informes do Sindicato

Não quero mais participar
 
Veja Também
 
 
O Sindicato
  Institucional
  História
  Diretoria
  Base do Sindicato
  Subsedes
  Aposentados
  Lazer
Serviços
  Benefícios para Associado
  Tesouraria
  Jurídico
  Homologação
  Médico
Convenções
  Metalurgia
  Reparação de Veículos
  Máquinas Agrícolas
Galerias
  Fotos
  Vídeos
  Escute
  Notícias
  Opinião do Sindicato
  Folha Metalúrgica
  Publicações
CNM  FTM RS  CUT
 
Stimepa - Sindicato dos Metalurgicos de Porto Alegre
Av. Francisco Trein, 116 - Cristo Redentor - CEP 91350-200
Telefone: (51) 3371.9000 - Porto Alegre - RS
 
Omega Tecnologia