Notícias
 
Olívio Dutra: "Nunca houve avanços sem luta dos trabalhadores"
Ex-governador esteve presente no ato de 1º de Maio, na Redenção
02/05/2017


CUT-RS


O ex-governador Olívio Dutra, que esteve presente no ato de 1º de Maio,  fez um resgate histórico do Dia do Trabalhador e da Trabalhadora, instituído em memória aos mártires de Chicago (EUA). Em 1886, milhares de trabalhadores foram às ruas para protestar contra as condições de trabalho desumanas a que eram submetidos e exigir a redução da jornada de 13 para 8 horas diárias. A mobilização causou a ira dos poderosos. A repressão foi dura com prisões, pessoas feridas e até mesmo operários mortos pela polícia.

“Desde sempre, ao longo da história, com o fim da escravidão, com a chegada dos anarquistas europeus no Brasil, com a revolução industrial, com as aparições das primeiras associações protetivas dos trabalhadores, não houve nenhum avanço trabalhista sem que houvesse por trás a luta dos trabalhadores”, salientou o ex-governador, que foi também prefeito de Porto Alegre e presidente do Sindicato dos Bancários de Porto Alegre.

Também deputado federal constituinte, Olívio disse que os sindicatos da CUT eram contra o imposto sindical, como forma de garantir liberdade e autonomia sindical. “E agora esse item volta à pauta no Congresso, mas sob outro viés. Querem tirar essa contribuição, mas não podemos chorar sobre isso”, opinou. Para ele, a medida visa enfraquecer as entidades sindicais, mas deve servir para fortalecer a luta das entidades de baixo pra cima.

Estado sob controle público e não privado

O ex-governador ainda defendeu que a solidariedade deve ser a marca da luta do povo trabalhador. Olívio afirmou que “se pregamos igualdade de gênero, temos que colocá-la em prática. Somente com a classe trabalhadora organizada e consciente alcançamos a democracia e o avanço dos direitos”, disse.

“Perdemos muitas gerações de trabalhadores e, por isso, temos que prosseguir essa luta”, continuou. Para ele, enquanto houver injustiça, “é preciso se indignar e lutar”. De acordo com Olívio, a democracia tem que ser um valor permanente, concreto, vivido e compartilhado de forma justa. “Para isso precisamos do estado sob controle público e não privado”, explicou.

“O nosso país está sofrendo um golpe, que é um crime contra os direitos. Atacam a nossa democracia e um projeto coletivo”, apontou defendendo que os trabalhadores devem ser “sujeitos e não objetos da política”.

Fonte: CUT-RS

 
Veja também
 
 
Ramais - SEDE STIMEPA
  • Telefone Principal: (51) 3371-9000
  • Saúde do Trabalhador - Ramal 9025
  • Cobrança - Ramal 9023 e 9028
  • Jurídico - Ramal 9029
  • Homologação - Ramal 9046
  • Secretaria Geral - Ramal 9026
  • Administrativo/Financeiro - Ramal 9018
 
Redes Sociais
 
 
Folha Metalúrgica
 
Assista
 
Escute
Escolha o áudio abaixo...

 
Boletim Eletrônico
Receba em seu e-mail o boletim eletrônico e informes do Sindicato

Não quero mais participar
 
Veja Também
 
 
O Sindicato
  Institucional
  História
  Diretoria
  Base do Sindicato
  Subsedes
  Aposentados
  Colônia de Férias
  Lazer
Serviços
  Benefícios para Associado
  Tesouraria
  Jurídico
  Homologação
  Médico
Convenções
  Metalurgia
  Reparação de Veículos
  Máquinas Agrícolas
Galerias
  Fotos
  Vídeos
  Escute
  Notícias
  Opinião do Sindicato
  Folha Metalúrgica
  Publicações
CNM  FTM RS  CUT
 
Stimepa - Sindicato dos Metalurgicos de Porto Alegre
Av. Francisco Trein, 116 - Cristo Redentor - CEP 91350-200
Telefone: (51) 3371.9000 - Porto Alegre - RS
 
Omega Tecnologia