Notícias
 
Repressão do lado de fora e traição no lado de dentro garantem aprovação de projetos do pacotaço de maldades de Sartori
.
21/12/2016


Metalúrgicos presentes nos atos de resistência ao pacotaço de maldades


Nos últimos dois dias, a repressão contra representantes dos movimentos sindicais e sociais, crime cometido por policiais militares que também sofrem com arrocho e parcelamento de salários impostos pelo governo estadual, e a traição de deputados estaduais que juraram defender os direitos e interesses do povo gaúcho, estão garantindo na Assembleia Legislativa a aprovação de inúmeros projetos do chamado "pacotaço de maldades de Sartori".

O governo se utiliza da crise de endividamento e descapitalização do Estado para impor sua agenda de "Estado mínimo" em 28 projetos, extinguindo secretarias, fundações e outros serviços públicos, privatizando importantes empresas públicas e impondo milhares de demissões numa conjuntura em que, segundo a FEE (que será extinta com o pacotaço), a taxa de desemprego total na Região Metropolitana de Porto Alegre (RMPA) aumentou de 10,2% para 10,8% da População Economicamente Ativa, entre novembro de 2015 e novembro de 2016, aumentando para cerca de 11 mil pessoas o número de desempregados.

As únicas bancadas totalmente contrárias ao pacotaço de maldades de Sartoti foram as do PT, PCdoB e Psol. A primeira votação na segunda-feira, extinguiu a Agência Gaúcha de Desenvolvimento e Promoção do Investimento (AGDI). Criada na gestão de Tarso Genro, a agência garantiu o crescimento do Estado acima da média nacional no governo anterior. Na madrugada de segunda para terça-feira, foi aprovado o PL 247/16 que extingue importantes secretarias, como a da Cultura, Turismo e Lazer, Trabalho e Desenvolvimento Social e Justiça e Direitos Humanos. Na madrugada de terça para quarta-feira, o governo conseguiu aprovar a extinção de seis fundações importantes: a Zoobotânica, Cientec, FEE, Metroplan, Piratini (TV Educativa e Rádio FM Cultura) e FDRH. Na manhã da quarta-feira, conseguiu aprovar a Fepagro - Fundação Estadual de Pesquisa Agropecuária e a Fundação Instituto Gaúcho de Tradição e Folclore. A sessão foi encerrada às 8 horas da manhã, com previsão de nova sessão às 14 horas.

OPERAÇÃO DE GUERRA

Para impedir a aproximação de manifestantes contrários ao pacotaço de maldades de Sartori, o secretário da Segurança pública Cesar Schirmer armou uma verdadeira operação de guerra para, nas palavras dele, "garantir a democracia". Na verdade, impedir a democracia, os direitos constitucionais de livre manifestação e de ir e vir.

O aparato teve por objetivo impedir a aproximação de servidores e dos representantes legais de todas as categorias envolvidas. Grades de proteção foram instaladas há um mês ao redor da Assembleia e estendidas até a Praça da Matriz nos últimos dias, impedindo que pessoas e carros se aproximassem da chamada Casa do Povo. Desde o final da madrugada da segunda-feira, 19, o número de policiais foi reforçado (cerca de 300) e o bloqueio do trânsito, ampliado. Toda e qualquer aproximação era respondida com balas de borracha, cassetetes, bombas de efeito moral e gás lacrimogêneo e de pimenta. Até pessoas credenciadas foram impedidas de entrar para acompanhar as votações.

“Estamos resistindo à repressão e à violência da Brigada Militar, em defesa dos direitos dos servidores, dos serviços públicos e do patrimônio do povo gaúcho”, afirmou Claudir Nespolo, presidente estadual da CUT.

METALÚRGICOS PRESENTES

Além do metalúrgico e atual presidente estadual da CUT, Claudir Nespolo, outras lideranças sindicais metalúrgicas participaram dos atos de resistência ao pacotaço de maldades de Sartori, sendo solidários principalmente aos servidores do Estado, categoria que será extremamante atingida com as reformas. Entre os quais, podemos citar os presidentes dos sindicatos metalúrgicos de Porto Alegre, Lírio Segalla, e de Canoas, Paulo Chitolina, o secretário de Política Sindical da Confederação Nacional dos Metalúrgicos, Loricardo de Oliveira, o secretário-geral da Federação dos Metalúrgicos, Flávio de Souza, o Flavião, e o vice-presidente do Sindimetal Cachoeirinha, Marcos Muller, o Alemão. Também estiveram presentes os dirigentes sindicais Rafael Moretto, Adriano Filippetto, Marcelo do Nascimento e o ativista Vladimir Duarte, o Medusa, entre outros.


Conheça abaixo os 28 projetos de desmonte do Estado, que compõem o pacotaço de maldades de Sartori:

PL 249 2016 – Reestruturação da AGDI
PL 248 2016 – Cria a gratificação por desempenho de atividade prisional
PL 247 2016 – Redução de Secretarias de Estado
PL 241 2016 – Invalidez ou morte militar
PL 274 2016 – Cedência dos servidores da segurança
PL 242 2016 – Diário Oficial Eletrônico
PL 244 2016 – Corag
PL 251 2016 – SPH
PL 301 2016 – FEPPS
PL 240 2016 – IGTF + Fepagro
PL 246 2016 – Metroplan + FDRH + CIENTEC + FEE + FCP + FZB
PL 250 2016 – IGP
PLC 252 2016 – Fundo Prev civil
PL 254 2016 - Lei orçamentária
PLC 253 2016 – FundoPrev militares
PEC 256 2016 – Sindicatos
PL 214 2016 – Créditos presumidos
PEC 255 2016 – Guarda presídios
PEC 242 2016 – Licença Capacitação
PEC 261 2016 – Tempo ficto
PLC 243 2016 – Estatuto dos Militares
PLC 245 2016 – Susepe
PEC 260 2016 – Duodécimo
PEC 258 2016 – Verbas indenizatórias
PL 195 2016 – Selo notorial
PL 97 2016 – Taxa judiciária
PL 257 2016 – Salário e 13º
PEC 259 2016 – Plebiscito

 
Veja também
 
 
 
Canal WhatsApp
 
Ramais - SEDE STIMEPA
  • Telefone Principal: (51) 3371-9000
  • Saúde do Trabalhador - Ramal 9025
  • Cobrança - Ramal 9023 e 9028
  • Jurídico - Ramal 9029
  • Homologação - Ramal 9046
  • Secretaria Geral - Ramal 9026
  • Administrativo/Financeiro - Ramal 9018
 
Redes Sociais
 
 
Folha Metalúrgica
 
Assista
 
Escute
Escolha o áudio abaixo...

 
Boletim Eletrônico
Receba em seu e-mail o boletim eletrônico e informes do Sindicato

Não quero mais participar
 
Veja Também
 
 
Serviços
  Benefícios para Associado
  Tesouraria
  Jurídico
  Homologação
  Médico
O Sindicato
  Institucional
  História
  Diretoria
  Base do Sindicato
  Subsedes
  Aposentados
  Colônia de Férias
  Lazer
Convenções
  Metalurgia
  Reparação de Veículos
  Máquinas Agrícolas
Galerias
  Fotos
  Vídeos
  Escute
  Notícias
  Opinião do Sindicato
  Folha Metalúrgica
  Publicações
CNM  FTM RS  CUT
 
STIMEPA - Sindicato dos Metalurgicos de Porto Alegre
Av. do Forte, 77 - Cristo Redentor - CEP 91.360-000;
Telefone: (51) 3371.9000 - Porto Alegre - RS.
 
Omega Tecnologia