Notícias
 
CUT reforça dia nacional de paralisações nesta quinta rumo à greve geral
Essas mobilizações engrossam as manifestações que antes mesmo da consumação da farsa do impeachment da presidenta Dilma tomaram as ruas de todo o país contra o golpe e agora continuam pelo “Fora Temer”
21/09/2016


CUT/RS


 A Executiva da CUT Nacional, suas estaduais e os Ramos que compõem a base dos trabalhadores cutistas, reuniram-se em Brasília no dia 14 de setembro, após dois dias de intensa mobilização, que reuniu de 10 a 15 mil manifestantes na capital federal nos dias 12 (“Fora Temer e Fora Cunha”) e 13 (“NENHUM DIREITO A MENOS”, contra a PEC 241).

Essas mobilizações engrossam as manifestações que antes mesmo da consumação da farsa do impeachment da presidenta Dilma tomaram as ruas de todo o país contra o golpe e agora continuam pelo “Fora Temer”.

Milhares de jovens, mulheres, intelectuais, artistas, trabalhadores e trabalhadoras estão indicando claramente que não reconhecem este governo golpista e que repudiam as medidas e políticas de ataque aos direitos sociais, previdenciários e trabalhistas, de entrega de nossos recursos econômicos e naturais para as multinacionais, notadamente no caso do Pré-sal.

Os ataques do governo golpista se desdobram a cada dia

A cada momento o cerco contra a democracia e o estado de direito se intensifica, como se viu no grotesco e perigoso espetáculo montado por procuradores da Lava Jato que “com convicção, mas sem provas” tentam incriminar o ex-presidente Lula, mostrando ao Brasil e ao mundo a utilização política, tendenciosa e parcial do judiciário brasileiro.

A CUT repudia tal operação como um atentado contra os direitos elementares dos cidadãos e tentativa de criminalizar não só a figura de Lula, mas o PT, outros partidos de esquerda e o conjunto das organizações sindicais e populares que hoje estão em pé de luta em defesa dos direitos e conquistas ameaçados pelos golpistas.

Diante da urgência desse quadro, após discussão baseada em informes das estaduais e ramos de nossa central, crescem as condições para uma greve geral que derrote o conteúdo regressivo do golpe, partindo da afirmação intransigente de “NENHUM DIREITO A MENOS”.

A CUT prioriza junto às suas bases a preparação da Greve Geral no próximo período, apoiando as greves em curso pelo Brasil e indicando desde já o seguinte:

22 DE SETEMBRO – DIA NACIONAL DE PARALISAÇÃO E MOBILIZAÇÃO RUMO À GREVE GERAL

A greve geral passa pelo “esquenta” do dia 22, por isso a importância da participação da CUT nacional, estaduais, ramos e macrossetores na organização da mobilização e paralisação nesse dia, rumo á greve geral. Foram definidos os passos para o dia 22:

- Intensificar a preparação do Dia Nacional de Paralisação e Mobilização de 22 de setembro como um “Esquenta da Greve Geral”, reforçando a interrupção total ou parcial do trabalho;

- Intensificar a construção do dia 22 junto às Frentes Brasil Popular e Frente Povo Sem Medo;

- Continuar a construir esse “esquenta” com as outras centrais sindicais para que também mobilizem suas bases;

- Os ramos devem continuar a convocar suas bases para a paralisação no dia 22;

- Todos os estados devem organizar plenárias de sindicatos e movimentos parceiros – como já vem sendo feito – para potencializar o “Esquenta da Greve Geral”;

- Os macrossetores também deverão contribuir na construção da mobilização.

26 DE SETEMBRO – REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA DA EXECUTIVA AMPLIADA

Reunião para a realização de balanço das atividades do dia 22 e definir data (indicativa) para a Greve Geral ainda neste ano. Continuar a construir a mais ampla unidade de ação com as demais centrais sindicais e com as Frentes nesse processo de preparação da Greve Geral por “NENHUM DIREITO A MENOS”, preservando sempre a autonomia da CUT na agitação das palavras de ordem que consideramos centrais na atual conjuntura.

5 DE OUTUBRO – MOVIMENTO DE PARALISAÇÃO DO FUNCIONALISMO PÚBLICO NO COMBATE À PEC 241 (DF).

Convocar em conjunto com entidades do funcionalismo federal, estadual e municipal, um segundo Dia Nacional de Paralisação e Mobilização tendo como centro o combate à PEC 241 que congela os “gastos” com os serviços públicos por 20 anos.

A Executiva Nacional da CUT considera que esta não é uma luta específica dos servidores públicos que terão seus salários e direitos afetados diretamente, mas do conjunto da classe trabalhadora, pois o que traz a PEC 241 é um verdadeiro desmonte do Estado e de suas políticas sociais, afetando diretamente todos os trabalhadores e o povo que necessitam de um serviço público de qualidade (Educação e Saúde públicas, por exemplo).

PLANO DE LUTAS

As ações que constam do Plano de Lutas da CUT para o Segundo Semestre (anexo), definidas na reunião da Direção Nacional de 18 e 19 de agosto de 2016, e reavaliadas pelos dirigentes na reunião, são coerentes com o momento e devem continuar a ser executadas.

DIRETAS JÁ

A CUT, diante da ilegitimidade do governo Temer, um governo sem voto popular e que representa interesses estranhos aos da maioria da população brasileira, se soma á exigência de que a palavra seja dada ao povo – pois é a soberania popular que é a base da democracia – através de eleições Diretas Já com a instalação de Constituinte para a reforma desse sistema político apodrecido que pretende legitimar o golpe.

EIXOS DA LUTA – OS EIXOS E PALAVRAS DE ORDEM QUE NORTEARÃO TODAS AS AÇÕES CUTISTAS SERÃO:

- “NENHUM DIREITO A MENOS”;

- “Rumo à Greve Geral”

- “Fora Temer”;

- “Diretas Já, com assembléia constituinte para a reforma política”.

Via: CUT Nacional 

 
Veja também
 
 
Ramais - SEDE STIMEPA
  • Telefone Principal: (51) 3371-9000
  • Saúde do Trabalhador - Ramal 9025
  • Cobrança - Ramal 9023 e 9028
  • Jurídico - Ramal 9029
  • Homologação - Ramal 9046
  • Secretaria Geral - Ramal 9026
  • Administrativo/Financeiro - Ramal 9018
 
Redes Sociais
 
 
Folha Metalúrgica
 
Assista
 
Escute
Escolha o áudio abaixo...

 
Boletim Eletrônico
Receba em seu e-mail o boletim eletrônico e informes do Sindicato

Não quero mais participar
 
Veja Também
 
 
O Sindicato
  Institucional
  História
  Diretoria
  Base do Sindicato
  Subsedes
  Aposentados
  Colônia de Férias
  Lazer
Serviços
  Benefícios para Associado
  Tesouraria
  Jurídico
  Homologação
  Médico
Convenções
  Metalurgia
  Reparação de Veículos
  Máquinas Agrícolas
Galerias
  Fotos
  Vídeos
  Escute
  Notícias
  Opinião do Sindicato
  Folha Metalúrgica
  Publicações
CNM  FTM RS  CUT
 
Stimepa - Sindicato dos Metalurgicos de Porto Alegre
Av. Francisco Trein, 116 - Cristo Redentor - CEP 91350-200
Telefone: (51) 3371.9000 - Porto Alegre - RS
 
Omega Tecnologia