Notícias
 
Metalúrgicos na Alemanha e Brasil apresentam desafios sociais e na indústria de seus países
Em Frankfurt, trabalhadores dão início à 4ª Conferência de Expressões da Globalização, que tem o objetivo de debater alternativas para fortalecer o movimento sindical e a indústria de seus países.
22/06/2016


CNM/CUT
Conferência reúne 80 metalúrgicos do Brasil e Alemanha, em Frankfurt


 Frankfurt - Começou nesta quarta-feira (21) a 4ª Conferência Expressões da Globalização que tem como tema “Juntos Pensando o Futuro”. O evento, que acontece em Frankfurt, reúne 80 trabalhadores da Alemanha e do Brasil com o objetivo de trocar experiências e debater em conjunto alternativas para o fortalecimento do movimento sindical e da indústria nos dois países.

A Conferência é uma realização da Fundação Hans Böckler (FHB), organizada pela Confederação Nacional dos Metalúrgicos da CUT (CNM/CUT), em parceria com o Instituto Integrar e o IG Metall (Sindicato dos Metalúrgicos da Alemanha).

Para debater a situação política, econômica e industrial dos dois países foram convidados Wolfgang Lemb, representante da Comissão de Economia, Tecnologia e Trabalho do IG Metall, e Valter Sanches, secretário de Relações Internacionais da CNM/CUT e membro do Conselho de Administração da Daimler.

Lemb abriu a discussão abordando a terceirização. Assim como no Brasil, este problema também é recorrente na Alemanha. Segundo ele, só através da luta do Sindicato foi possível conquistar legalmente direitos mínimos de trabalho para os terceirizados. “Com o intuito de limitar a contratação de terceiros, recentemente foi aprovada uma lei estabelecendo que os contratos deles podem ter até 18 meses. Depois desse período eles devem ser efetivados; caso contrário, a empresa terá uma punição severa do Estado. Além disso, eles não podem ser utilizados para enfraquecer as greves nas empresas”, explicou.

Durante sua intervenção, o dirigente alemão falou do desafio de receber os refugiados na Europa e, principalmente, em seu país que só em 2015 recebeu mais de 1 milhão de pessoas. De acordo com ele, o tema é preocupante já que só 2015 foram contabilizados 1.031 ataques contra os refugiados, 283 manifestações contra a aceitação deles na Alemanha e 126 incêndios criminosos em abrigos que recebem estas pessoas.

“Temos a compreensão de que precisamos oferecer uma terra para essas pessoas. O IG Metall tem como um dos objetivos integrar estas pessoas na sociedade e no mercado de trabalho, mas nos defrontamos com uma onda conservadora da sociedade alemã. Por exemplo, os empregadores querem utilizar a mão de obra dos refugiados, mas diminuindo o salário mínimo deles. Nossa responsabilidade enqunato Sindicato é que a contratação seja formal para esta nova mão de obra, garantindo o direito à livre circulação, além de cursos de formação de língua e cultura alemã”, assinalou.

No Brasil
A poucos dias da votação no Senado para a conclusão do processo de impeachment da presidenta Dilma Rousseff, Sanches fez uma análise do atual momento político no Brasil e criticou o governo interino golpista. “Além de tomar a presidência do Brasil através de um golpe, este governo golpista implantou uma série de medidas que levam ao retrocesso dos direitos dos trabalhadores e de toda a sociedade. Tudo que avançamos nos últimos 13 anos está sendo destruído por conservadores que não admitem as conquistas importantes de inclusão social dos governos de Lula e Dilma”, afirmou.


Sanches fez uma análise sobre a atual situação política brasileira

Além disso, o sindicalista brasileiro também agradeceu a solidariedade internacional contra a consolidação do golpe no Brasil. “Todos os fóruns sindicais que participamos são contra o golpe no Brasil. Os trabalhadores no mundo estão compreendendo a atual situação da política no país, já que conquistamos o protagonismo na política externa”, afirmou.

Em relação à questão econômica, Sanches enfatizou as conquistas trabalhistas por meio dos governos do Partido dos Trabalhadores. “O país teve seu crescimento econômico e social a partir do governo de Lula e depois o da presidenta Dilma. Ao longo desses 13 anos conquistamos mais de 42% de aumento real nos salários dos metalúrgicos, mais de 12 milhões de brasileiros entraram nas universidades e 40 milhões de pessoas saíram da pobreza. A inclusão de pessoas refletiu diretamente no crescimento da economia brasileira”, explicou.

Parceria
Na abertura do evento, o representante da Fundação Hans Böckler, Martin Behrens, destacou o atual momento da União Europeia. Nesta quinta-feira (23), os britânicos irão votar pela saída ou permanência da Grã-Bretanha no bloco de 28 nações. “Este voto afetará as relações de trabalho em toda a União Europeia. Os poucos direitos de cogestão na Grã Bretanha serão mantidos após a saída do país da UE?”, indagou. “Sem a cogestão uma economia social de mercado não é possível e os trabalhadores serão prejudicados”, avaliou.

Já Wolfgang Lemb ressaltou a importância do governo Lula para o crescimento econômico e político do Brasil. “Foi um governo que deixou o Brasil em destaque no cenário mundial. Admiramos Lula por ter realizado um política que incluiu milhões de brasileiros. E hoje, nos preocupamos com a democracia brasileira, que corre risco com o atual governo interino”, contou.

Falando em nome da delegação brasileira, Valter Sanches enalteceu a parceria entre as entidades sindicais para a formação de trabalhadores. “Esta parceria possibilita que intercâmbios como estes aconteçam, além de fortalecer as relações sindicais entre Brasil e Alemanha para enfrentar a atual conjuntura. Esta Conferência, por exemplo, acontece por conta do financiamento da Fundação Hans Böckler, que investe em programas educacionais para trabalhadores e em pesquisas para subsidiar a atividade sindical”, afirmou.

(Fonte: Shayane Servilha - Assessoria de Imprensa da CNM/CUT)

 
Veja também
 
 
Ramais - SEDE STIMEPA
  • Telefone Principal: (51) 3371-9000
  • Saúde/Clínico Geral - Ramal 9024
  • Saúde do Trabalhador - Ramal 9025
  • Cobrança - Ramal 9023 e 9028
  • Jurídico - Ramal 9029
  • Homologação - Ramal 9046
  • Secretaria Geral - Ramal 9026
  • Administrativo/Financeiro - Ramal 9018
 
Redes Sociais
 
 
Folha Metalúrgica
 
Assista
 
Escute
Escolha o áudio abaixo...

 
Boletim Eletrônico
Receba em seu e-mail o boletim eletrônico e informes do Sindicato

Não quero mais participar
 
Veja Também
 
 
O Sindicato
  Institucional
  História
  Diretoria
  Base do Sindicato
  Subsedes
  Aposentados
  Lazer
Serviços
  Benefícios para Associado
  Tesouraria
  Jurídico
  Homologação
  Médico
Convenções
  Metalurgia
  Reparação de Veículos
  Máquinas Agrícolas
Galerias
  Fotos
  Vídeos
  Escute
  Notícias
  Opinião do Sindicato
  Folha Metalúrgica
  Publicações
CNM  FTM RS  CUT
 
Stimepa - Sindicato dos Metalurgicos de Porto Alegre
Av. Francisco Trein, 116 - Cristo Redentor - CEP 91350-200
Telefone: (51) 3371.9000 - Porto Alegre - RS
 
Omega Tecnologia