Notícias
 
Vazamento de áudios comprova que impeachment foi Golpe de Estado
.
23/05/2016


Conversa entre Romero Jucá e Sergio Machado afirma que afastamento de Dilma era para “estancar sangria” das investigaçõe


 Para os que ainda acham que o processo de impeachment de Dilma Rousseff não se tratava de um golpe, os áudios revelados nesta segunda-feira, dia 23, pelo jornal Folha de São Paulo, confirmam a ação de impedimento, pensada pela oposição, como a única maneira de barrar as investigações da Operação Lava Jato.


Gravada semanas antes da votação do processo de impeachment na Câmara, a conversa entre Romero Jucá e Sergio Machado, Ministro do Planejamento e ex-presidente da Transpetro, respectivamente, deixa claro que em nenhum momento as acusações de pedaladas fiscais foram levadas em consideração para o afastamento de Rousseff. Em contrapartida, o diálogo, que tem duração de 1h15min, mostra todo o planejamento que seria feito para garantir a queda de Dilma e o encerramento das investigações que iriam “acabar com a classe política”.


No áudio, Jucá revela para Marchado seu temor por possíveis delações dos empreiteiros Galvão Queiroz, Camargo Corrêa e Marcelo Odebrecht, já cassados pela operação. “Tem que resolver essa porra…tem que mudar o governo para poder estancar essa sangria[…]”.


Machado então sugere que a maneira mais fácil é colocar Michel Temer na presidência e ambos concordam que assim poderia ser feito um grande acordo nacional, inclusive com ministros do supremo, para “delimitar” as investigações.


Renan Calheiros, atual presidente do Senado, também é citado na conversa como um “voador”, por não compreender que Michel Temer e Eduardo Cunha são uma “saída” contra a possibilidade de cassação. “Na hora de cassar o Eduardo, que ele tem ódio, o próximo alvo principal é ele. Então quanto mais vida, sobrevida, tiver o Eduardo, melhor pra ele”, disse Machado.


Condução coercitiva foi uma “cagada”


O ex-presidente Lula, alvo de uma ação coercitiva em março deste ano, é citado nas gravações quando Machado fala da “cagada dos Procuradores de São Paulo”, referindo-se à ação que gerou um pedido de prisão para Lula. Jucá, por sua vez, assume que toda a movimentação foi para inviabilizar Lula como ministro. “Os caras fizeram para poder inviabilizar ele de ir para o ministério. Agora vira obstrução da Justiça, não está deixando o cara, entendeu? Foi um ato violento…”.


A Central Única dos Trabalhadores (CUT) e o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra(MST) foram citados como os únicos movimentos que escutam Lula, sendo este também um dos motivos para barrar a entrada como ministro. “O Lula vai reunir ali com os setores empresariais?”, questionou Jucá, reforçando a intenção de atender primordialmente os interesses do empresariado, ao invés das demandas dos trabalhadores.


Fonte: STIMMMEC (com informações da Folha de São Paulo)

 
Veja também
 
 
Ramais - SEDE STIMEPA
  • Telefone Principal: (51) 3371-9000
  • Saúde do Trabalhador - Ramal 9025
  • Cobrança - Ramal 9023 e 9028
  • Jurídico - Ramal 9029
  • Homologação - Ramal 9046
  • Secretaria Geral - Ramal 9026
  • Administrativo/Financeiro - Ramal 9018
 
Redes Sociais
 
 
Folha Metalúrgica
 
Assista
 
Escute
Escolha o áudio abaixo...

 
Boletim Eletrônico
Receba em seu e-mail o boletim eletrônico e informes do Sindicato

Não quero mais participar
 
Veja Também
 
 
O Sindicato
  Institucional
  História
  Diretoria
  Base do Sindicato
  Subsedes
  Aposentados
  Colônia de Férias
  Lazer
Serviços
  Benefícios para Associado
  Tesouraria
  Jurídico
  Homologação
  Médico
Convenções
  Metalurgia
  Reparação de Veículos
  Máquinas Agrícolas
Galerias
  Fotos
  Vídeos
  Escute
  Notícias
  Opinião do Sindicato
  Folha Metalúrgica
  Publicações
CNM  FTM RS  CUT
 
Stimepa - Sindicato dos Metalurgicos de Porto Alegre
Av. Francisco Trein, 116 - Cristo Redentor - CEP 91350-200
Telefone: (51) 3371.9000 - Porto Alegre - RS
 
Omega Tecnologia