Notícias
 
No Estado, 15 meses de retrocessos
Governo Sartori vem impondo uma série de retrocessos com a ajuda de uma maioria de deputados estaduais na Assembleia Legislativa
04/05/2016




 Está equivocado quem pensa que os direitos trabalhistas e sociais são afrontados apenas lá em Brasília. Aqui no RS, desde que assumiu, o Governo Sartori vem impondo uma série de retrocessos com a ajuda de uma maioria de deputados estaduais na Assembleia Legislativa.

Entre outras medidas, o governo promoveu cortes no orçamento, suspendeu o pagamento de fornecedores do Estado, aumentou o próprio salário em 45,97% e limitou despesas às receitas, inclusive de pessoal, trancando reajustes salariais, promoções e nomeações dos aprovados em concurso, entre os quais policiais civis e militares. Também extinguiu secretarias importantes, como a de Política para as Mulheres, demitiu funcionários, suspendeu repasses a hospitais e propôs a extinção de três fundações.

Promoveu também calotes na dívida com a União, acarretando bloqueios das contas do Estado, e mandou parcelar os salários dos servidores, resultando em greves que paralisaram os serviços à população. Reduziu o teto das Requisições de Pequeno Valor (RPVs) dos atuais 40 para dez salários mínimos, penalizando a população e pequenas empresas e aumentou impostos, subindo a alíquota do ICMS, em vários produtos, entre os quais a gasolina, álcool, telefonia fixa e móvel, energia elétrica comercial e residencial acima de 50 kw (quase todas as casas).

Recentemente, Sartori reajustou o Piso Regional sem a reposição integral das perdas inflacionárias, causando arrocho salarial. Cabe lembrar que, mesmo com a crise, Dilma garantiu aumento acima da inflação para o salário mínimo, inclusive para os aposentados.

Agora Sartori quer alterar a lei que criou a EGR (Empresa Gaúcha de Rodovias) e quer dar de volta à iniciativa privada, por 30 anos, a concessão de rodovias (pedágios) e retirar da Assembleia Legislativa o poder de fiscalizar. Também quer, a pretexto de adequar o regime previdenciário dos servidores à Constituição Federal, retirar benefícios decorrentes do tempo de prestação de serviços. Por fim, pretende interferir na organização sindical, limitando o número de servidores cedidos para sindicatos e outras entidades representativas de classe.

 
Veja também
 
 
Ramais - SEDE STIMEPA
  • Telefone Principal: (51) 3371-9000
  • Saúde do Trabalhador - Ramal 9025
  • Cobrança - Ramal 9023 e 9028
  • Jurídico - Ramal 9029
  • Homologação - Ramal 9046
  • Secretaria Geral - Ramal 9026
  • Administrativo/Financeiro - Ramal 9018
 
Redes Sociais
 
 
Folha Metalúrgica
 
Assista
 
Escute
Escolha o áudio abaixo...

 
Boletim Eletrônico
Receba em seu e-mail o boletim eletrônico e informes do Sindicato

Não quero mais participar
 
Veja Também
 
 
O Sindicato
  Institucional
  História
  Diretoria
  Base do Sindicato
  Subsedes
  Aposentados
  Colônia de Férias
  Lazer
Serviços
  Benefícios para Associado
  Tesouraria
  Jurídico
  Homologação
  Médico
Convenções
  Metalurgia
  Reparação de Veículos
  Máquinas Agrícolas
Galerias
  Fotos
  Vídeos
  Escute
  Notícias
  Opinião do Sindicato
  Folha Metalúrgica
  Publicações
CNM  FTM RS  CUT
 
Stimepa - Sindicato dos Metalurgicos de Porto Alegre
Av. Francisco Trein, 116 - Cristo Redentor - CEP 91350-200
Telefone: (51) 3371.9000 - Porto Alegre - RS
 
Omega Tecnologia