Notícias
 
Centrais querem destravar negócios para recuperar empregos
Objetivo é dialogar com empresários e governos e lutar para que a economia volte a crescer a crescer a médio e longo prazo com a recuperação dos empregos e da renda
09/11/2015


Preocupadas com a crise econômica e social, gerada pelo desemprego, arrocho salarial e inadimplência, as principais Centrais Sindicais brasileiras pretendem dialogar com os empresários para destravar os negócios de setores e empresas ligados à operação Lava-Jato. Os sindicalistas querem negociar com o governo a liberação das operações dos segmentos de óleo e gás, construção civil e naval e engenharia. Estimativa do movimento sindical dá conta que existem 30 grandes empresas envolvidas na Lava-Jato.

Assim, acreditam os representantes do movimento sindical, a economia voltará a crescer a médio e longo prazo com a recuperação dos empregos e da renda. Eles vão elaborar um conjunto de propostas que serão entregues ao governo e ao Congresso Nacional, no dia 9 de dezembro, a fim de abrir negociações visando superar a crise. 

A cobrança de uma solução institucional para o impasse hoje vivido pelas companhias, cujas operações estão bloqueadas em decorrência da Operação Lava-Jato, é vista como prioridade pelos sindicalistas. “A batalha contra a corrupção deve ser travada por todos, mas o Brasil não pode ser paralisado por isso”, diz a nota conjunta das entidades dos trabalhadores.

Petrobras

O diretor-técnico do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), Clemente Ganz Lúcio, resumiu as propostas aprovadas na reunião: “A retomada de contratos entre Petrobras e empreiteiras do setor petróleo e gás tem de se dar imediatamente. O movimento sindical vai apresentar propostas para essa solução institucional, após uma discussão com os empresários”.
A nota destaca, ainda, que as empresas alvos das investigações empregam milhares de trabalhadores, “que reúnem complexas competências de engenharia e capacidades produtivas, acumuladas durante décadas de investimento em pesquisas, no desenvolvimento de tecnologia e inovação”.

Denúncias

Por isso, será um desafio separar a apuração das denúncias de corrupção dos demais negócios da Petrobras. De acordo com técnicos do Dieese, a empresa representa aproximadamente 12% do PIB (Produto Interno Bruto), e tem um volume de investimento significativo.

O movimento pretende colher sugestões de acadêmicos, representantes do setor empresarial e dos trabalhadores. A reunião das entidades foi realizada, dia 9 de novembro, na sede Dieese, em São Paulo. Participaram representantes da Força Sindical, CUT, UGT, CTB, e da Federação Única dos Petroleiros (FUP). Entre as entidades patronais que serão procuradas nos próximos dias, estão o Sinduscon e a Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), ambas do setor da construção civil.

Desempenho do setor metalúrgico vai mal ...

O setor metalúrgico vem perdendo dinamismo em todos os segmentos de suas atividades, com queda mais acentuada para o segmento de Equipamentos de informática, produtos eletrônicos e ópticos e de Veículos automotores, reboques e carrocerias. Esta menor produção tem impacto no mercado de trabalho, que já fechou 182 mil postos de trabalho no setor, no acumulado do ano, informa o Boletim da Rede Metalúrgicos, do Dieese.

Ainda de acordo com o levantamento do Dieese, as regiões que mais reduziram postos de trabalho foram a Sudeste e o Sul, que juntamente, com o Amazonas, representaram redução de 173 mil postos de trabalho, ou seja, 95% dos desligamentos estão concentrados nestas regiões. A retração do crédito, a volatilidade do câmbio e o menor dinamismo das economias centrais e da China são fatores que podem explicar este comportamento.

Diante deste cenário tão controverso, o Dieese explica que algumas medidas podem contribuir para alterar a trajetória de queda do setor, como a previsão de R$ 198 bilhões de investimento nos próximos anos contemplada no Plano de Investimento em Logística (PIL) com a melhoria na infraestrutura e nos transportes. Também pode ter impacto positivo o Plano de Investimento em Energia Elétrica (PIEE) que busca proporcionar competitividade para a indústria com maior oferta de energia.

 
Veja também
 
 
Ramais - SEDE STIMEPA
  • Telefone Principal: (51) 3371-9000
  • Saúde do Trabalhador - Ramal 9025
  • Cobrança - Ramal 9023 e 9028
  • Jurídico - Ramal 9029
  • Homologação - Ramal 9046
  • Secretaria Geral - Ramal 9026
  • Administrativo/Financeiro - Ramal 9018
 
Redes Sociais
 
 
Folha Metalúrgica
 
Assista
 
Escute
Escolha o áudio abaixo...

 
Boletim Eletrônico
Receba em seu e-mail o boletim eletrônico e informes do Sindicato

Não quero mais participar
 
Veja Também
 
 
O Sindicato
  Institucional
  História
  Diretoria
  Base do Sindicato
  Subsedes
  Aposentados
  Colônia de Férias
  Lazer
Serviços
  Benefícios para Associado
  Tesouraria
  Jurídico
  Homologação
  Médico
Convenções
  Metalurgia
  Reparação de Veículos
  Máquinas Agrícolas
Galerias
  Fotos
  Vídeos
  Escute
  Notícias
  Opinião do Sindicato
  Folha Metalúrgica
  Publicações
CNM  FTM RS  CUT
 
Stimepa - Sindicato dos Metalurgicos de Porto Alegre
Av. Francisco Trein, 116 - Cristo Redentor - CEP 91350-200
Telefone: (51) 3371.9000 - Porto Alegre - RS
 
Omega Tecnologia