Notícias
 
Preços da cesta básica voltam a cair na maioria das capitais
Pão francês, açúcar, leite e carne bovina registram alta, enquanto óleo de soja e tomate têm retração
06/08/2015


Os preços da cesta básica caíram, em julho, em 11 das 18 capitais pesquisadas pelo Dieese, repetindo o mês anterior, quando o instituto havia registrado queda na maioria (15) das cidades. Desta vez, as principais retrações foram apuradas em Belém (-4,76%), Manaus (-3,27%), Natal (-3,03%) e Recife (-2,87%), enquanto as altas aconteceram em Aracaju (3,64%), Fortaleza (2,28%), Belo Horizonte (1,85%), Rio de Janeiro (0,96%), São Paulo (0,78%) e Curitiba (0,16%). No ano e em 12 meses, todos os municípios têm alta. Entre os produtos, o pão francês, o açúcar, o leite e a carne bovina tiveram predominância de alta no mês passado, enquanto os preços do óleo de soja e do tomate caíram na maioria das capitais pesquisadas.

A cesta mais cara é de São Paulo: R$ 395,83. Com base nesse valor, o Dieese calculou em R$ 3.325,37 o salário mínimo necessário para as despesas de um trabalhador e sua família com alimentação, moradia, saúde, educação, vestuário, higiene, transporte, lazer e previdência. A quantia corresponde a 4,22 vezes o mínimo oficial, ante 4,19 em junho e 4,03 em julho do ano passado.

Depois de São Paulo, os maiores valores foram apurados em Porto Alegre (R$ 383,22), Florianópolis (R$ 376,69) e Rio de Janeiro (R$ 372,24). O Dieese registrou os menores valores médios em Aracaju (R$ 285,44), Natal (R$ 293,58) e João Pessoa (R$ 306,53).

O tempo médio para adquirir os produtos da cesta básica cai para 95 horas e 29 minutos, ante 96 horas e 7 minutos em junho. Em 2014, a jornada era de 92 horas e três minutos.
De janeiro a julho, as altas variaram de 6,28% (Manaus) a 18,7% (Fortaleza e Salvador). Em 12 meses, o Dieese destaca as elevações em Aracaju (19,07%), Campo Grande (18,24%) e Brasília (17,98%). As menores variações foram as de Manaus (4,28%) e Recife (4,46%).

No mês passado, o preço do pão francês subiu em 16 das 18 capitais, variando de 0,09% (Rio de Janeiro) a 4,24% (Belo Horizonte), com quedas em Aracaju (-1,96%) e Goiânia (-0,11%). "Chuvas na região Sul destruíram parte da lavoura de trigo, o que diminuiu a oferta nacional", diz o Dieese. "Por outro lado, o trigo importado ficou mais caro, uma vez que o real está desvalorizado. Os reajustes das tarifas de água e luz também têm influenciado o aumento do produto."

Já o preço do leite subiu pelo quinto mês seguido, com elevação em 15 cidades – de 0,34% (Goiânia) a 5,26% (Belém). Segundo o instituto, o produto "seguiu em período de entressafra, o que elevou os preços ao consumidor". O açúcar aumentou em 13 capitais e a carne bovina, em 12.

Dos produtos com preço menor, o óleo de soja caiu em 17 cidades, à exceção de Aracaju (5,21%). E o tomate teve queda em 12 cidades, com destaque para Natal (-21,49%), Recife (-20,88%), João Pessoa (-18,60%) e Belém (-16,49%).

 

 

 

 

Fonte: Rede Brasil Atual Dieese

 
Veja também
 
 
Ramais - SEDE STIMEPA
  • Telefone Principal: (51) 3371-9000
  • Saúde/Clínico Geral - Ramal 9024
  • Saúde do Trabalhador - Ramal 9025
  • Cobrança - Ramal 9023 e 9028
  • Jurídico - Ramal 9029
  • Homologação - Ramal 9046
  • Secretaria Geral - Ramal 9026
  • Administrativo/Financeiro - Ramal 9018
 
Redes Sociais
 
 
Folha Metalúrgica
 
Assista
 
Escute
Escolha o áudio abaixo...

 
Boletim Eletrônico
Receba em seu e-mail o boletim eletrônico e informes do Sindicato

Não quero mais participar
 
Veja Também
 
 
O Sindicato
  Institucional
  História
  Diretoria
  Base do Sindicato
  Subsedes
  Aposentados
  Lazer
Serviços
  Benefícios para Associado
  Tesouraria
  Jurídico
  Homologação
  Médico
Convenções
  Metalurgia
  Reparação de Veículos
  Máquinas Agrícolas
Galerias
  Fotos
  Vídeos
  Escute
  Notícias
  Opinião do Sindicato
  Folha Metalúrgica
  Publicações
CNM  FTM RS  CUT
 
Stimepa - Sindicato dos Metalurgicos de Porto Alegre
Av. Francisco Trein, 116 - Cristo Redentor - CEP 91350-200
Telefone: (51) 3371.9000 - Porto Alegre - RS
 
Omega Tecnologia