Notícias
 
Executivos de empresas veem sinais de retomada
Confiança dos empresários na política econômica começa a ser restabelecida, criando as condições para o retorno dos investimentos
26/05/2015




No momento em que o trabalho do ministro da Fazenda, Joaquim Levy, é questionado por setores do governo e do PT, executivos das maiores empresas do país afirmam que, por causa do ajuste em curso, a confiança dos empresários na política econômica começa a ser restabelecida, criando as condições para o retorno dos investimentos.

Os executivos já veem sinais de que, no segundo semestre, a economia terá um desempenho melhor. "O ajuste nos dá coragem para investir o necessário para continuarmos crescendo", disse o presidente da CPFL, Wilson Ferreira Jr., um dos 23 executivos agraciados com o prêmio "Executivo de Valor ".

"Tendo passado pelo período mais crítico, que será este primeiro semestre em termos de crescimento econômico, no segundo começa uma pequena recuperação", afirmou Roberto Setúbal, presidente do Itaú Unibanco. "Vejo todo o esforço do governo, neste momento, para criar um verdadeiro superávit primário como solução, não como problema. Vejo como problema os desvios que tivemos anteriormente."

Também premiado na noite de ontem, o presidente da Fiat na América Latina, Cledorvino Belini, disse que o setor automotivo deverá sentir os primeiros sinais de reação no fim do ano. Ele admitiu que não esperava um "freio" tão forte na atividade econômica, mas manifestou confiança na recuperação gradual, à medida que melhorem as expectativas do consumidor sobre a economia. "Entendo que esse ajuste é necessário para recolocar o país no caminho do crescimento."

Apesar do ano difícil, o presidente da Whirlpool para a América Latina, João Carlos Brega, espera um segundo semestre melhor que o primeiro, "embora pior que o segundo semestre de 2014". Para o presidente da Porto Seguro, Fábio Luchetti, 2015 será um pouco "mais morno" e os negócios só devem começar a se recuperar no quarto trimestre, "quando as mudanças já estarão em pleno vigor e os empresários poderão dimensionar os impactos para voltar a investir".

As opiniões sobre a retomada, entretanto, não são unânimes. Representantes de alguns dos setores que mais têm sofrido com a retração da economia seguem pessimistas. "As exportações vão cair e o mercado interno já está reduzindo. Os investimentos estão congelados. Estamos apenas concluindo o que já estava aprovado", disse Márcio Utsch, presidente da Alpargatas. Já o presidente da WEG, Harry Schmelzer Jr., disse que os projetos da companhia na China e no México estão "a todo vapor", mas, no Brasil, as perspectivas não são positivas.

 

 

Fonte: Valor

 

 
Veja também
 
 
Ramais - SEDE STIMEPA
  • Telefone Principal: (51) 3371-9000
  • Saúde/Clínico Geral - Ramal 9024
  • Saúde do Trabalhador - Ramal 9025
  • Cobrança - Ramal 9023 e 9028
  • Jurídico - Ramal 9029
  • Homologação - Ramal 9046
  • Secretaria Geral - Ramal 9026
  • Administrativo/Financeiro - Ramal 9018
 
Redes Sociais
 
 
Folha Metalúrgica
 
Assista
 
Escute
Escolha o áudio abaixo...

 
Boletim Eletrônico
Receba em seu e-mail o boletim eletrônico e informes do Sindicato

Não quero mais participar
 
Veja Também
 
 
O Sindicato
  Institucional
  História
  Diretoria
  Base do Sindicato
  Subsedes
  Aposentados
  Lazer
Serviços
  Benefícios para Associado
  Tesouraria
  Jurídico
  Homologação
  Médico
Convenções
  Metalurgia
  Reparação de Veículos
  Máquinas Agrícolas
Galerias
  Fotos
  Vídeos
  Escute
  Notícias
  Opinião do Sindicato
  Folha Metalúrgica
  Publicações
CNM  FTM RS  CUT
 
Stimepa - Sindicato dos Metalurgicos de Porto Alegre
Av. Francisco Trein, 116 - Cristo Redentor - CEP 91350-200
Telefone: (51) 3371.9000 - Porto Alegre - RS
 
Omega Tecnologia