Notícias
 
Da série "Notícias que a grande mídia não divulga ou distorce pra manipular consciências"
Brasil está perto de erradicar pobreza extrema, mas riqueza segue concentrada
28/04/2015




O recente relatório "Prosperidade compartilhada e erradicação da pobreza na América Latina e Caribe”, publicado pelo Banco Mundial, revela que, nos últimos 20 anos, cerca de 60% dos brasileiros subiram de classe econômica. Segundo o estudo, o Brasil está próximo de erradicar a pobreza extrema. O desempenho positivo seria resultado do crescimento econômico a partir de 2001, das políticas públicas com foco na erradicação da pobreza (como o Bolsa Família e Brasil sem Miséria), do aumento das taxas de emprego e do percentual de empregos formais (60% em 2012), além da evolução do salário mínimo, que fortaleceu o poder de compra dos/as brasileiros/as.

De acordo com o estudo, de 1990 a 2009, 25 milhões de brasileiros saíram da pobreza extrema ou moderada. Isso representa uma em cada duas pessoas saídas da pobreza na América Latina e no Caribe, nesse período. O percentual de brasileiros/as vivendo na extrema pobreza caiu de 10%, em 2001, para 4%, em 2013.

A melhoria nas condições de vida na América Latina e Caribe modificou, visivelmente, a composição socioeconômica da população. Em 2012, houve uma redução de 24,1% para 12,1% das pessoas em situação de extrema pobreza e um aumento de 21,2% para 34,4% da classe média.

Apesar dos avanços, o relatório aponta que ainda existem, na América Latina e Caribe, 75 milhões de pessoas em extrema pobreza, sendo a metade delas no Brasil e no México. Na Guatemala, a situação afeta mais de 40% da população e quase 60% no Haiti. No Brasil, 18 milhões de brasileiros ainda vivem na pobreza e um terço da população não conseguiu ingressar na classe média, permanecendo em condição de vulnerabilidade econômica.

A desigualdade no Brasil está acima da registrada na América Latina e Caribe. 1% da classe mais rica recebe 13% da renda total do país. Mais da metade dos 7,3 milhões de brasileiros que ainda vivem na extrema pobreza (renda inferior a R$ 70 por mês) estão na região Nordeste (56,7%), seguida da região Sudeste (22,7%) e da Norte (11%).

 

 

Fonte: Cristina Fontenele, da Adital

 
Veja também
 
 
Ramais - SEDE STIMEPA
  • Telefone Principal: (51) 3371-9000
  • Saúde do Trabalhador - Ramal 9025
  • Cobrança - Ramal 9023 e 9028
  • Jurídico - Ramal 9029
  • Homologação - Ramal 9046
  • Secretaria Geral - Ramal 9026
  • Administrativo/Financeiro - Ramal 9018
 
Redes Sociais
 
 
Folha Metalúrgica
 
Assista
 
Escute
Escolha o áudio abaixo...

 
Boletim Eletrônico
Receba em seu e-mail o boletim eletrônico e informes do Sindicato

Não quero mais participar
 
Veja Também
 
 
O Sindicato
  Institucional
  História
  Diretoria
  Base do Sindicato
  Subsedes
  Aposentados
  Colônia de Férias
  Lazer
Serviços
  Benefícios para Associado
  Tesouraria
  Jurídico
  Homologação
  Médico
Convenções
  Metalurgia
  Reparação de Veículos
  Máquinas Agrícolas
Galerias
  Fotos
  Vídeos
  Escute
  Notícias
  Opinião do Sindicato
  Folha Metalúrgica
  Publicações
CNM  FTM RS  CUT
 
Stimepa - Sindicato dos Metalurgicos de Porto Alegre
Av. Francisco Trein, 116 - Cristo Redentor - CEP 91350-200
Telefone: (51) 3371.9000 - Porto Alegre - RS
 
Omega Tecnologia