Notícias
 
Desemprego cai para 4,3% em dezembro, o menor índice da história
No ano, a média de desocupação da força de trabalho registrada pelo IBGE foi de 4,8%, abaixo dos 5,4% obtidos no ano anterior
30/01/2015


O índice de desemprego em dezembro caiu de 4,3% - divulgou nesta quinta-feira, 29, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Em novembro, havia sido registrado 4,8%. De acordo com a pesquisa, este é o menor nível já registrado pela Pesquisa Mensal de Emprego (PME).

Na média de 2014, foi registrada a taxa de 4,8% de desocupação da força de trabalho - abaixo da média de 5,4% de 2013. Esse índice também é o menor desta série histórica, iniciada março de 2002.

No ano passado, de acordo com estimativa do IBGE, foi estimada em 1,176 milhões a quantidade de pessoas desocupadas. Esse número é 10,8% inferior ao de 2013. Em dezembro, o tamanho da população desocupada sofreu recuo de 11,8% em relação a novembro - queda de 1,192 milhões de pessoas para 1,051 milhão.

Na média, o porcentual do trabalhadores com carteira assinada avançou, entre 2013 e 2014, no setor privado, de 50,3% (11,6 milhões), em 2013, para 50,8% (11,7 milhões) em 2014. Em dezembro, eram 11.807 milhões os trabalhadores com carteira assinada em empresas privadas.

O rendimento médio real dos trabalhadores, conforme foi divulgado, subiu de R$ 2.089,57, em 2013, para R$ 2.122,10, em 2014 - alta de 1,6%. O maior ganho de rendimento está no setor de serviços domésticos (4,5%) e construção (6,7%).

A grande disparidade social observada na pesquisa está na comparação do rendimento de pretos e pardos ao de brancos. O rendimento deste primeiro grupo representa, hoje, apenas 58% do rendimento do segundo. No entanto, entre 2003 e 2014, enquanto pretos e pardos tiveram ganho de rendimento médio da ordem de 56,3%, brancos tiveram de 30,4%.

De toda a força ocupada de trabalho do Brasil, a maior parte dela está no funcionalismo público (3,5 milhões de trabalhadores). Há uma parcela de 1,9 milhão de brasileiros atuando com carteira assinada no setor privado e outra que trabalha por contra própria. E os empregados no setor privado sem carteira assinada são 1,4 milhão.

Como mostram esses dados, diferentemente do Caged, que divulgou na semana passada a menor geração de empregos formais desde 2002, a PME do IBGE contabiliza também em sua pesquisa os trabalhadores sem carteira assinada.

Em dezembro, por sinal, a PME aferiu recuo no número de trabalhadores com carteira assinada, de 0,1%, em relação a novembro. O número de empregados sem carteira no setor privado também diminuiu no mês, 1,8% ante novembro, ou seja, 36 mil pessoas a menos. (Com Agência Estado)

 

Fonte: Estadão

 
Veja também
 
 
Ramais - SEDE STIMEPA
  • Telefone Principal: (51) 3371-9000
  • Saúde do Trabalhador - Ramal 9025
  • Cobrança - Ramal 9023 e 9028
  • Jurídico - Ramal 9029
  • Homologação - Ramal 9046
  • Secretaria Geral - Ramal 9026
  • Administrativo/Financeiro - Ramal 9018
 
Redes Sociais
 
 
Folha Metalúrgica
 
Assista
 
Escute
Escolha o áudio abaixo...

 
Boletim Eletrônico
Receba em seu e-mail o boletim eletrônico e informes do Sindicato

Não quero mais participar
 
Veja Também
 
 
O Sindicato
  Institucional
  História
  Diretoria
  Base do Sindicato
  Subsedes
  Aposentados
  Colônia de Férias
  Lazer
Serviços
  Benefícios para Associado
  Tesouraria
  Jurídico
  Homologação
  Médico
Convenções
  Metalurgia
  Reparação de Veículos
  Máquinas Agrícolas
Galerias
  Fotos
  Vídeos
  Escute
  Notícias
  Opinião do Sindicato
  Folha Metalúrgica
  Publicações
CNM  FTM RS  CUT
 
Stimepa - Sindicato dos Metalurgicos de Porto Alegre
Av. Francisco Trein, 116 - Cristo Redentor - CEP 91350-200
Telefone: (51) 3371.9000 - Porto Alegre - RS
 
Omega Tecnologia