Notícias
 
Em 2014, o valor da cesta básica aumentou em 17 capitais
O salário mínimo necessário, em dezembro de 2014, deveria ser R$ 2.975,55 ou 4,11 vezes o mínimo em vigor, de R$ 724,00
19/01/2015




Em 2014, o valor acumulado dos itens que compõem a cesta básica aumentou em 17 das 18 capitais pesquisadas. A única exceção foi identificada em Natal (-1,70%). A Pesquisa da Cesta Básica de Alimentos (PCBA) identificou variações acima de 10% em Brasília (13,79%), Aracaju (13,34%) e Florianópolis (10,58%). As menores oscilações positivas ocorreram em Salvador (1,01%), Belo Horizonte (1,22%) e Campo Grande (2,36%).

Em dezembro, houve aumento da cesta em 16 cidades e diminuição em duas: Curitiba (-1,07%) e Fortaleza (-0,07%). As maiores elevações foram registradas em Salvador (4,73%) e Recife (4,35%). O maior valor da cesta básica foi apurado em São Paulo (R$ 354,19), seguido de Florianópolis (R$ 353,10) e Porto Alegre (R$ 348,56). Os menores custos médios foram observados em Aracaju (R$ 245,70) e Salvador (R$ 267,82).

O salário mínimo necessário, em dezembro de 2014, deveria ser R$ 2.975,55 ou 4,11 vezes o mínimo em vigor, de R$ 724,00. Em dezembro de 2013, o valor correspondia a R$ 2.765,44, ou 4,08 vezes o mínimo da época (R$ 678,00). O salário mínimo necessário é estimado pelo DIEESE mensalmente, com base no total apurado para a cesta mais cara e levando em consideração a determinação constitucional que estabelece que o salário mínimo deve ser suficiente para suprir as despesas de um trabalhador e sua família com alimentação, moradia, saúde, educação, vestuário, higiene, transporte, lazer e previdência.

 

ICV-DEESE fica em 6,73%, em 2014

O custo de vida na cidade de São Paulo teve aumento de 6,73%, em 2014. A taxa foi 0,69 ponto percentual superior à de 2013, que foi de 6,04%. O Índice de Custo de Vida (ICV-DIEESE) é composto por 10 grupos, dos quais cinco registraram variações superiores à inflação: Educação e Leitura (9,64%), Alimentação (9,39%), Despesas Pessoais (9,27%), Despesas Diversas (8,72%) e Habitação (6,95%). Taxas menores que a média foram observadas nos grupos: Saúde (5,08%), Transporte (2,31%), Recreação (2,29%), Equipamento Doméstico (0,40%) e Vestuário (0,35%).

Além do índice geral, o DIEESE calcula mais três indicadores de inflação, segundo tercis da renda das famílias paulistanas. Em 2014, verificou-se que a taxa acumulada foi maior quanto menor o nível de rendimento. Para as famílias que compõem o estrato 1 (renda média de R$ 377,49), a variação foi de 6,86%. As famílias com renda média de R$ 934,17, que compõem o estrato 2, a taxa ficou em 6,78%. O estrato 3, composto por famílias de maior poder aquisitivo (R$ 2.792,90), a taxa ficou em 6,67%.


Alimentos pressionaram inflação em dezembro

Em dezembro, o custo de vida aumentou 0,52%, mesma taxa registrada em novembro. A alta dos alimentos in natura e semielaborados (2,23%), as despesas do grupo Alimentação – taxa de 1,08% e contribuição de 0,34 p.p. - foram as que mais contribuíram para a elevação do Índice do Custo de Vida (ICV-DIEESE); seguidas do Transporte, cuja variação foi de 0,57% e contribuição de 0,08 p.p., devido ao reajuste de 1,31% nos combustíveis.

Em dezembro, os outros três indicadores de inflação foram mais altos para as famílias de menor poder aquisitivo: estrato 1 (0,58%) e estrato 2 (0,60%), enquanto que para o estrato 3 foi de 0,46%. As variações por estrato foram semelhantes às de novembro.

 

 

Fonte: Dieese

 
Veja também
 
 
Ramais - SEDE STIMEPA
  • Telefone Principal: (51) 3371-9000
  • Saúde/Clínico Geral - Ramal 9024
  • Saúde do Trabalhador - Ramal 9025
  • Cobrança - Ramal 9023 e 9028
  • Jurídico - Ramal 9029
  • Homologação - Ramal 9046
  • Secretaria Geral - Ramal 9026
  • Administrativo/Financeiro - Ramal 9018
 
Redes Sociais
 
 
Folha Metalúrgica
 
Assista
 
Escute
Escolha o áudio abaixo...

 
Boletim Eletrônico
Receba em seu e-mail o boletim eletrônico e informes do Sindicato

Não quero mais participar
 
Veja Também
 
 
O Sindicato
  Institucional
  História
  Diretoria
  Base do Sindicato
  Subsedes
  Aposentados
  Lazer
Serviços
  Tesouraria
  Jurídico
  Homologação
  Médico
Convenções
  Metalurgia
  Reparação de Veículos
  Máquinas Agrícolas
Galerias
  Fotos
  Vídeos
  Escute
  Notícias
  Opinião do Sindicato
  Folha Metalúrgica
  Publicações
CNM  FTM RS  CUT
 
Stimepa - Sindicato dos Metalurgicos de Porto Alegre
Av. Francisco Trein, 116 - Cristo Redentor - CEP 91350-200
Telefone: (51) 3371.9000 - Porto Alegre - RS
 
Omega Tecnologia