Notícias
 
Tempo de permanência do brasileiro no emprego é o maior desde 2002
Especialista do Dieese aponta valorização da qualificação do trabalho e força das organizações sindicais como fatores para a estabilidade, que já supera os três anos no mesmo emprego
27/05/2014


De acordo com estudo do Dieese, o tempo médio de permanência do brasileiro no emprego chegou a três anos e um mês, o mais alto desde 2002, quando começou a ser medido. O dado foi registrado no primeiro trimestre. Valorização do trabalhador qualificado e a atuação das organizações sindicais são apontados por Airton dos Santos, coordenador técnico do Dieese, como os principais fatores para a estabilidade. A reportagem foi ao ar sexta-feira (23) na edição do Seu Jornal, da TVT.

Dados do IBGE mostram que em 2003 o tempo médio de permanência do brasileiro no mesmo emprego era de dois anos e meio. Para Santos, o mercado de trabalho está “aquecido” mas, como a qualificação da mão de obra no Brasil ainda é baixa, as empresas retêm os trabalhadores mais qualificados.

Ainda segundo o estudioso, os dados estatísticos apontam que a maioria das categorias vêm conquistando aumento de salário e de direitos nos últimos dez anos.“Quando você tem um desemprego baixo, você tem um alto emprego, que é o que está acontecendo no país e a ação sindical fica fortalecida”, explica.

Wellington Messias Damasceno, da Comissão de Juventude dos Metalúrgicos do ABC, destaca três aspectos para estabilidade do emprego na região, o primeiro “são os avanços nas negociações sindicais no sentido de manutenção do emprego”. Outro aspecto, no caso da juventude, é a formação. "Segundo as pesquisas, a juventude tem um perfil de maior escolaridade”, argumenta. E o terceiro ponto citado pelo sindicalista é a própria estabilidade da economia brasileira.

“O crescimento econômico do país favorece as negociações sindicais. Então a gente tem sindicatos mais fortes, mais organizados, e com forças para fazer essas demandadas não só de aumento salarial, mas também de garantia dentro do emprego”, afirma Wellington.

 

 

Fonte: Rede Brasil Atual

 

 
Veja também
 
 
Ramais - SEDE STIMEPA
  • Telefone Principal: (51) 3371-9000
  • Saúde do Trabalhador - Ramal 9025
  • Cobrança - Ramal 9023 e 9028
  • Jurídico - Ramal 9029
  • Homologação - Ramal 9046
  • Secretaria Geral - Ramal 9026
  • Administrativo/Financeiro - Ramal 9018
 
Redes Sociais
 
 
Folha Metalúrgica
 
Assista
 
Escute
Escolha o áudio abaixo...

 
Boletim Eletrônico
Receba em seu e-mail o boletim eletrônico e informes do Sindicato

Não quero mais participar
 
Veja Também
 
 
O Sindicato
  Institucional
  História
  Diretoria
  Base do Sindicato
  Subsedes
  Aposentados
  Colônia de Férias
  Lazer
Serviços
  Benefícios para Associado
  Tesouraria
  Jurídico
  Homologação
  Médico
Convenções
  Metalurgia
  Reparação de Veículos
  Máquinas Agrícolas
Galerias
  Fotos
  Vídeos
  Escute
  Notícias
  Opinião do Sindicato
  Folha Metalúrgica
  Publicações
CNM  FTM RS  CUT
 
Stimepa - Sindicato dos Metalurgicos de Porto Alegre
Av. Francisco Trein, 116 - Cristo Redentor - CEP 91350-200
Telefone: (51) 3371.9000 - Porto Alegre - RS
 
Omega Tecnologia