Notícias
 
Economistas preveem preços em queda e PIB em expansão
Em abril, o alívio nos preços de alimentos e transportes ajudou a inflação a desacelerar a alta a 0,67%
12/05/2014


Economistas de instituições financeiras reduziram a projeção para a inflação neste ano, que voltou a ficar abaixo do topo da meta do governo, mantendo ao mesmo tempo a perspectiva de manutenção da Selic em maio. De acordo com a pesquisa Focus do Banco Central (BC) divulgada nesta segunda-feira, a projeção para o IPCA neste ano foi reduzida em 0,11 ponto percentual, a 6,39%. A meta do governo é de 4,5% pelo IPCA, com margem de 2 pontos percentuais para mais ou menos.

Em abril, o alívio nos preços de alimentos e transportes ajudou a inflação a desacelerar a alta a 0,67%, o que evitou uma aproximação ainda mais forte do teto da meta do governo. O Índice dePreços ao Consumidor (IPC) de São Paulo avançou 0,45% na primeira quadrissemana de maio, depois de encerrar abril com alta de 0,53%, informou a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) nesta segunda-feira.

Entretanto, a 6,28% em 12 meses, o IPCA permanece em níveis elevados e a pressão proveniente de serviços e preços de administrados, destacadamente da energia elétrica, mantém o sinal de alerta ligado. A projeção de alta dos preços administrados neste ano no Focus foi mantida em 5,00%. Mas o Top 5 de médio prazo, com as instituições que mais acertam as projeções, ainda vê o IPCA estourando o teto da meta este ano, a 6,69%, ainda que um pouco maior do que os 6,67% da semana anterior.

Para 2015, o Focus aponta expectativa de inflação de 6,00%, inalterado ante a pesquisa anterior, enquanto nos próximos 12 meses os economistas veem o indicador a 5,88%, 0,05 ponto percentual a menos.

Taxa de juros

O resultado abaixo do esperado do IPCA de abril e o fato de não ter se aproximado do teto da meta com mais força como se esperava dá mais argumentos para que o BC pare de elevar a Selic neste mês, como já sinalizou anteriormente. Assim, os economistas consultados no Focus continuam vendo manutenção da taxa básica de juros em 11% na reunião dos dias 27 e 28 do Comitê de Política Monetária (Copom). E também mantêm a perspectiva de que a Selic encerrará o ano a 11,25%, só que agora com uma alta de 0,25 ponto percentual em dezembro e não mais no final de outubro, como previsto na pesquisa anterior.

Já o Top-5 de médio prazo projeta a taxa básica de juros este ano a 11,75%, ante 12,13% na semana anterior. Sobre o Produto Interno Bruto (PIB), os economistas consultados no Focuselevaram a perspectiva de crescimento em 2014 a 1,69%, ante 1,63%.

PIB em alta

Instituições financeiras consultadas pelo BC também ajustaram as projeções para o crescimento da economia em 2014 e no próximo ano. A estimativa para a expansão do Produto Interno Bruto (PIB), soma de todos os bens e serviços produzidos no país, passou de 1,63% para 1,69% neste ano, e de 1,91% para 1,90%, em 2015. Essas projeções fazem parte da pesquisa semanal do BC a instituições financeiras, sobre os principais indicadores econômicos, que são compiladas e divulgadas no boletim Focus.

A estimativa para a expansão da produção industrial foi ajustada de 11,21% para 11,24%, este ano, e de 2,65% para 2,37%, em 2015. A previsão para o superávit comercial (saldo positivo de exportações menos importações) segue em US$ 3 bilhões, em 2014, e em US$ 10 bilhões, no próximo ano. A estimativa para o saldo negativo em transações correntes (registros de compra e venda de mercadorias e serviços do Brasil com o exterior) foi ajustada de US$ 78,6 bilhões para US$ 80 bilhões, este ano, e de US$ 75,6 bilhões para US$ 75 bilhões, em 2015.

A projeção para a cotação do dólar segue em R$ 2,45, no final de 2014, e foi alterada de R$ 2,51 para R$ 2,50, ao fim d2015. De acordo com o boletim Focus, A expectativa das instituições financeiras para o investimento estrangeiro direto (recursos que vão para o setor produtivo do país) segue em US$ 60 bilhões neste ano, e em US$ 55 bilhões, em 2015.

A projeção das instituições financeiras para a relação entre a dívida líquida do setor público e o PIB foi mantida em 34,80% neste ano, e ajustada de 35% para 35,05%, em 2015.

 

 

Por: Correio do Brasil

 
Veja também
 
 
Ramais - SEDE STIMEPA
  • Telefone Principal: (51) 3371-9000
  • Saúde do Trabalhador - Ramal 9025
  • Cobrança - Ramal 9023 e 9028
  • Jurídico - Ramal 9029
  • Homologação - Ramal 9046
  • Secretaria Geral - Ramal 9026
  • Administrativo/Financeiro - Ramal 9018
 
Redes Sociais
 
 
Folha Metalúrgica
 
Assista
 
Escute
Escolha o áudio abaixo...

 
Boletim Eletrônico
Receba em seu e-mail o boletim eletrônico e informes do Sindicato

Não quero mais participar
 
Veja Também
 
 
O Sindicato
  Institucional
  História
  Diretoria
  Base do Sindicato
  Subsedes
  Aposentados
  Colônia de Férias
  Lazer
Serviços
  Benefícios para Associado
  Tesouraria
  Jurídico
  Homologação
  Médico
Convenções
  Metalurgia
  Reparação de Veículos
  Máquinas Agrícolas
Galerias
  Fotos
  Vídeos
  Escute
  Notícias
  Opinião do Sindicato
  Folha Metalúrgica
  Publicações
CNM  FTM RS  CUT
 
Stimepa - Sindicato dos Metalurgicos de Porto Alegre
Av. Francisco Trein, 116 - Cristo Redentor - CEP 91350-200
Telefone: (51) 3371.9000 - Porto Alegre - RS
 
Omega Tecnologia