Notícias
 
Desemprego no Brasil é o menor da série histórica iniciada em 2003
.
30/01/2014


A taxa de desemprego ficou em 4,3% em dezembro de 2013


A taxa de desemprego no Brasil recuou a 4,3% em dezembro, fechando 2013 com taxa média de 5,4%, menores níveis históricos. A renda da população, por sua vez, apresentou um leve recuo no mês passado. Segundo a Pesquisa Mensal de Emprego (PME) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgada nesta quinta-feira, em novembro, o desemprego já havia recuado a 4,6%, quando igualou a mínima histórica até então registrada em dezembro de 2012.

Pesquisa da agência inglesa de notícias Reuters mostrou que, pela mediana das previsões, a taxa cairia a 4,3% no mês passado. Ainda segundo o IBGE, em dezembro o rendimento foi a R$ 1.966,90, queda real de 0,7% sobre novembro mas, em comparação com dezembro de 2012, houve alta de 3,2%. Em 2013 fechado, a média anual do rendimento subiu 1,8%.

A população ocupada cresceu 0,2% em dezembro na comparação com novembro e recuou 0,5% ante o mesmo período do ano anterior, totalizando 23,330 milhões de pessoas. Já a população desocupada chegou a 1,061 milhão de pessoas, queda de 6,2% ante novembro, e queda de 6,6% sobre um ano antes. Os desocupados incluem tanto os empregados temporários dispensadosquanto desempregados em busca de uma chance no mercado de trabalho.

Baixos níveis de desemprego foram vistos ao longo do ano passado apesar da fraqueza da economia, favorecendo o desempenho do consumo no país e o setor de serviços. A PME, que leva em consideração dados levantados em apenas seis regiões metropolitanas do país, está com os dias contados porque o IBGE passará a publicar uma pesquisa sobre emprego mais ampla, denominada Pnad Contínua e que terá periodicidade trimestral. Por essa nova metodologia, a taxa média de desemprego do país estava em 7,4% no segundo trimestre de 2013, dado mais recente conhecido.

Dado histórico

Ainda segundo cálculos do IBGE, a taxa de desocupação caiu sete pontos percentuais de 2003 a 2013. O instituto apresentou a retrospectiva dos 11 anos da Pesquisa Mensal do Emprego, que teve sua metodologia atualizada em março de 2002. Enquanto em 2013 a média aritmética do desemprego alcançou 5,4%, em 2003, primeiro ano em que a metodologia anual foi aplicada nos 12 meses, a taxa chegou a 12,4%.

Nesse período, o contingente de desocupados caiu 49,5%, de 2,6 milhões para 1,3 milhões, e a população ocupada subiu 24,8%. Dentro da alta, destaca-se a evolução do percentual de trabalhadores com carteira assinada do setor privado, que avançou 11,6 pontos percentuais, de 39,7% para 50,6%. Em termos de contingente, a população ocupada com carteira assinada no setor privado subiu 58,2%, com as mais fortes altas em Recife (89,4%) e Salvador (78,3%), e a menor no Rio de Janeiro (41,1%).

De 2010 a 2013, no entanto, houve uma acentuada queda no ritmo de retração da população desocupada. Enquanto de 2009 para 2010 o contingente caiu 15%, de 2012 para 2013, a queda foi dez vezes menor, de 1,5%, inclusive com registro de alta de 7,3% em Recife e de 17,9% em Salvador. O rendimento médio real habitual foi outro indicador que aumentou de 2003 a 2013, avançando de R$ 1.488,48 para R$ 1.966,90. A evolução representa um ganho de 29,6% no poder de compra.

A renda medida pelo IBGE mostra também algumas mudanças regionais: em 2003, a de São Paulo era 13% maior que a média geral, vantagem que caiu para 6% em 2013. Já Belo Horizonte, que era 12% menor em 2003, fechou 2013 3% menor que a renda geral.

Tal mudança é reflexo da variação registrada no período: enquanto São Paulo teve aumento de 22,2% da renda, o menor entre as seis regiões metropolitanas, Belo Horizonte teve o maior, de 43,6%. Depois da região mineira, o Rio de Janeiro teve a maior alta, de 40,6%, seguido por Porto Alegre (35,4%), Recife (31,3%) e Salvador (25,4%).

 
Veja também
 
 
Canal WhatsApp
 
Ramais - SEDE STIMEPA
  • Telefone Principal: (51) 3371-9000
  • Saúde do Trabalhador - Ramal 9025
  • Cobrança - Ramal 9023 e 9028
  • Jurídico - Ramal 9029
  • Homologação - Ramal 9046
  • Secretaria Geral - Ramal 9026
  • Administrativo/Financeiro - Ramal 9018
 
Redes Sociais
 
 
Folha Metalúrgica
 
Assista
 
Escute
Escolha o áudio abaixo...

 
Boletim Eletrônico
Receba em seu e-mail o boletim eletrônico e informes do Sindicato

Não quero mais participar
 
Veja Também
 
 
O Sindicato
  Institucional
  História
  Diretoria
  Base do Sindicato
  Subsedes
  Aposentados
  Colônia de Férias
  Lazer
Serviços
  Benefícios para Associado
  Tesouraria
  Jurídico
  Homologação
  Médico
Convenções
  Metalurgia
  Reparação de Veículos
  Máquinas Agrícolas
Galerias
  Fotos
  Vídeos
  Escute
  Notícias
  Opinião do Sindicato
  Folha Metalúrgica
  Publicações
CNM  FTM RS  CUT
 
STIMEPA - Sindicato dos Metalurgicos de Porto Alegre
Av. do Forte, 77 - Cristo Redentor - CEP 91.360-000;
Telefone: (51) 3371.9000 - Porto Alegre - RS.
 
Omega Tecnologia