Notícias
 
CUT-RS promove plenária da Saúde do Trabalhador
Serão eleitos os delegados para a I Conferência de Saúde do Trabalhador da CUT, que será realizada em São Paulo de 23 a 25 de abril
14/01/2014


Na quarta-fera, 22, das 13h às 18h, será realizada a plenária da Saúde do Trabalhador da CUT-RS, na sede da Federação dos Trabalhadores nas Indústrias da Alimentação do Estado do RS (rua Jerônimo Coelho, 303, Centro, Porto Alegre).

A atividade, direcionada para os diretores de saúde dos sindicatos, tem por finalidade eleger os delegados que irão participar da I Conferência de Saúde do Trabalhador da CUT, que será realizada em São Paulo de 23 a 25 de abril de 2014. O critério de participação será de estar em dia com as obrigações estatutárias com a Central.

As despesas de deslocamento (passagens de ônibus) e alimentação para a participação na plenária serão custeadas pela CUT-RS. Para os participantes estaremos disponibilizando uma hospedagem solidária junto as federações dos ramos. As confirmações de participação deverão ser encaminhadas a secretaria geral até às 16h do dia 18 de janeiro.

 

Objetivos da 1ª Conferência Nacional de Saúde do Trabalhador da CUT

O objetivo da 1ª Conferência Nacional de Saúde do Trabalhador da CUT é a sensibilização das lideranças sindicais a respeito da importância e da centralidade dos temas relacionados à da Saúde do Trabalhador, ou seja, evidenciar que não é simplesmente um tema transversal, que influencia circunstancialmente a vida do trabalhador de maneira pontual e fortuita no momento em que adoece ou é vítima de um acidente de trabalho. Pelo contrário, Saúde do Trabalhador é um campo de intervenção extremamente complexo, um pano de fundo onde se desenrolam cotidianamente todos os atos da relação capital X trabalho.

Situações de risco e doenças/acidentes do trabalho são respectivamente, causa e efeito do perverso processo de acumulação capitalista que considera o ser humano mero insumo, um recurso, a serviço do processo de produção e da obtenção de lucro, numa lógica perversa que desconsidera os limites físicos e psíquicos dos trabalhadores e, até mesmo, referências éticas.

Em outras palavras, ST está diretamente ligada à forma como o trabalho se organiza e das restrições impostas por essa forma, seja no que diz respeito às condições físicas e ambientais do trabalho fixadas pelos empregadores, seja na imposição dos ritmos de trabalho, jornada, metas e outros mecanismos de controle que definem as relações de trabalho. É importante observar, esse processo não se dá de maneira linear, tampouco democrática. Desde a Revolução Industrial no século XVIII até hoje, o controle do processo de trabalho está nas mãos do dono do capital, dando pouca ou nenhuma margem de liberdade e de poder para o trabalhador interferir e isso é o principal determinante para a ocorrência dos acidentes e doenças do trabalho.

Saúde do trabalhador não é, portanto, uma área estritamente técnica ou de responsabilidade exclusiva das CIPAs, noção extremamente difundida na sociedade e no próprio movimento sindical. Trata-se de um campo essencialmente político e ideológico, que se relaciona com o projeto político-organizativo das trabalhadoras e trabalhadores e com a necessidade de ampliação de seu poder para modificar situações de risco e sofrimento no trabalho.

Com o aprofundamento da ideologia neoliberal a partir dos anos 1990 até hoje, o que se vê são os trabalhadores mais e mais submetidos a mecanismos de cobrança por produtividade e a pressão dos patrões ao Estado pela desregulamentação ainda maior das relações de trabalho – haja vista o debate atual do PL 4330.

Assim o aumento da pressão por produtividade faz com que os trabalhadores demandem de forma crescente questões relacionadas às condições de trabalho e saúde, colocando para os sindicatos um duplo desafio: ao mesmo tempo, dar respostas pragmáticas para barrar antigas e novas formas de adoecimento geradas pelo trabalho, mas conscientizando-os de que são vítimas de um processo de exploração, de que os acidentes e doenças gerados pelo trabalho não são obras do acaso, nem de descuido ou negligência das trabalhadoras e trabalhadores, pelo contrário, ocorrem em razão de situações que lhes são impostas.

Neste contexto, as frágeis regras de proteção à integridade e dignidade dos que dependem do salário para a sobrevivência própria e da família, inscritas na legislação de saúde, trabalho e previdência social são diariamente menosprezadas e vilipendiadas sob o olhar complacente das autoridades governamentais que nada ou pouco fazem, resultando na verdadeira tragédia representada pelos altos índices de acidentes graves e fatais em nosso País.

Para reverter essa situação será preciso uma mudança de atitude do movimento sindical, no tocante às políticas e estratégias em Saúde do Trabalhador, tendo em vista ampliar as margens de liberdade e de poder das trabalhadoras e trabalhadores para intervir nas condições técnicas e organizacionais do trabalho, transformando-o em algo positivo, que promova a saúde.

A pergunta a fazer ao propormos a realização da Conferência é: o dirigente sindical cutista está preparado para esse desafio?
Confira os eixos temáticos:

EIXO 1 – Saúde do Trabalhador e Seguridade Social
EIXO 2 – O papel da OLTs na Saúde do Trabalhador e a Organização dos Ramos/Macrossetores da CUT
EIXO 3 – Saúde do Trabalhador e Meio Ambiente
EIXO 4 – Saúde do Trabalhador, Desenvolvimento Socioeconômico e Tecnológico


Por: CUT-RS

 
Veja também
 
 
Ramais - SEDE STIMEPA
  • Telefone Principal: (51) 3371-9000
  • Saúde/Clínico Geral - Ramal 9024
  • Saúde do Trabalhador - Ramal 9025
  • Cobrança - Ramal 9023 e 9028
  • Jurídico - Ramal 9029
  • Homologação - Ramal 9046
  • Secretaria Geral - Ramal 9026
  • Administrativo/Financeiro - Ramal 9018
 
Redes Sociais
 
 
Folha Metalúrgica
 
Assista
 
Escute
Escolha o áudio abaixo...

 
Boletim Eletrônico
Receba em seu e-mail o boletim eletrônico e informes do Sindicato

Não quero mais participar
 
Veja Também
 
 
O Sindicato
  Institucional
  História
  Diretoria
  Base do Sindicato
  Subsedes
  Aposentados
  Lazer
Serviços
  Tesouraria
  Jurídico
  Homologação
  Médico
Convenções
  Metalurgia
  Reparação de Veículos
  Máquinas Agrícolas
Galerias
  Fotos
  Vídeos
  Escute
  Notícias
  Opinião do Sindicato
  Folha Metalúrgica
  Publicações
CNM  FTM RS  CUT
 
Stimepa - Sindicato dos Metalurgicos de Porto Alegre
Av. Francisco Trein, 116 - Cristo Redentor - CEP 91350-200
Telefone: (51) 3371.9000 - Porto Alegre - RS
 
Omega Tecnologia